Nos últimos anos, o grupo Estado Islâmico (EI) vem recrutando crianças para formar novas gerações de terroristas. Desde pequenas, as crianças são ensinadas a odiar todos aqueles que se opõem às práticas adotadas pelo EI, que obriga os muçulmanos da etnia xiita a seguir o alcorão de acordo com a interpretação sunita da religião islâmica e sob a lei charia (o código das leis islâmicas). Quem se recusar a seguir estas determinações é punido severamente com torturas ou mutilações. Em alguns casos, a pessoa é condenada à pena de morte.

No caso registrado na última semana, dois meninos membros do Estado Islâmico foram punidos severamente, após se recusarem a acatar ordens para matar civis acusados de traição.

Publicidade
Publicidade

Na ocasião, os garotos tiveram suas mãos decepadas. O #Estado Islâmico considera a punição moderada, diante do caso grave de desobediência e agora isso deverá servir de exemplo para os demais membros. De acordo com informações do site de notícias ''Iraqi News'', os meninos punidos teriam idades entre 10 e 12 anos.

Parte do esquadrão de crianças soldados que fazem parte do EI estão sendo treinadas no centro de treinamento de Nínive, na Síria. O grupo terrorista costuma usar imagens das crianças para atrair novos membros, ou intimidar seus opositores. Na maioria dos vídeos, as crianças soldados aparecem executando prisioneiros de guerra.

Novos recrutamentos

Um extremista do EI, que teria sido capturado na tentativa de realizar um ataque suicida, na cidade de Kirkuk, no Iraque, afirma que o grupo vem se empenhando em recrutar novas crianças com o objetivo de repor as baixas dos extremistas mortos em combate contra os exércitos da Síria e do Iraque.

Publicidade

O grupo extremista também sofreu muitas baixas durante os bombardeios executados pela Rússia. O jihadista preso no Iraque, que tem 15 anos de idade, foi identificado como Mahmoud Ahmed e foi capturado em agosto do ano passado.

O garoto revelou que, assim como ele, havia centenas de meninos que estavam sendo treinados para praticarem atentados nas principais cidades do Iraque. O depoimento do adolescente reforça a ideia de que o Estado Islâmico esteja preparando centenas de milhares de crianças para realizarem ataques suicidas tanto na Síria, quanto no Iraque. #guerra na síria #Recrutas do Estado Islâmico