Yassmin Abdel-Magied é uma muçulmana australiana que trabalha como apresentadora de televisão e rádio, conhecida por defender o multiculturalismo, além de promover a diversidade e inclusão social nas nações ocidentais. Recentemente ficou conhecida em vários países por afirmar que o islã é a religião mais feminista do mundo.

Yassmin manifestou sua opinião sobre #Islamismo e #Feminismo em um programa de televisão australiano. Ela demostrou o ponto de vista que defende em resposta a um comentário feito pela senadora australiana Jacqui Lambie, que afirmou: "Qualquer pessoa que apoie a Sharia deveria ser deportada".

Como não concordou com o posicionamento defendido pela parlamentar, interrompeu a fala de Jacqui, questionou se a senadora saberia dizer o que seria Sharia, e concluiu dizendo que Sharia é orar cinco vezes ao dia.

Publicidade
Publicidade

Todavia, Jacqui confrontou a jovem alegando que a lei da Sharia pode não ser favorável para mulheres.

Em seguida, a ativista islâmica/feminista rebateu dizendo que o discurso defendido pela senadora não condiz com a religião islâmica, pois ela acredita que existe ligação entre islamismo e feminismo. Assim, finalizou afirmando que existe direitos iguais no islamismo; além disso também comentou que no islã as mulheres não têm os sobrenomes dos maridos, porque não são propriedades deles.

Entretanto, as alegações afirmadas pela moça soaram em tom de ironia perante a plateia que presenciou a discussão, fato comprovado por meio de risadas enquanto o debate ocorria.

Grandes líderes do islamismo ainda não transmitiram o que pensam sobre o assunto, entretanto, muçulmanos mostraram ter opiniões desfavoráveis com relação ao posicionamento que Yassmin insiste em defender.

Publicidade

Ante o exposto, verifica-se que a militante islâmica, que luta pelo direito da minoria, acredita que a ideologia islâmica apresenta viés parecido com o movimento feminista.

O vídeo que mostra o debate entre as partes foi postado no YouTube e teve mais de 42.202 visualizações, recebendo elogios e criticas. Assista:

#Comportamento