As duas mulheres estão casadas há mais de dois anos e no próximo dia 26 de fevereiro deverão assumir o cargo de co-pastoras de uma igreja Batista. A informação acabou gerando grande repercussão entre os cristãos protestantes dos Estados Unidos. As pastoras Sally Sarratt e Maria Swearingen deverão assumir como lideres religiosas Calvary Baptist Church, que foi construída há 155 anos, na cidade de Columbia, nos Estados Unidos.

De acordo com informações do site de notícias ''CristhianToday'', as duas mulheres foram ordenadas pastoras em 2015. Desde então, sempre se prepararam para assumir o cargo. O casal teria usado as redes sociais para confirmar que estão realizadas após o anúncio do novo cargo.

Publicidade
Publicidade

"É um sonho antigo e estamos entusiasmadas para iniciarmos nossas atividades".

Através de uma nota à imprensa, os responsáveis pela igreja Calvary Baptista afirmaram que, durante a história da igreja, sempre existiu um grupo de abolicionistas e ressaltou que a igreja sempre se beneficiou da liderança de mulheres em todos os níveis de sua vida.

O portal norte-americano Brithey afirmou que os principais membros do conselho ficaram impressionados com a decisão de colocar mulheres homossexuais para pregar a palavra de Deus. Entretanto, todos estão entusiasmados com o novo pastorado e o que as novas pastoras tem a oferecer para a congregação.

Em 2012, a Calvary Baptist Church rompeu seu vínculo com a Convenção Batista do Sul. Isso ocorreu devido a discordância das práticas religiosas adotadas pela Calvary Baptist.

Publicidade

Entre essas medidas, inclui-se o casamento entre homossexuais. Antes do anúncio envolvendo a dupla de pastoras lésbicas, a congregação permanecia afiliada a denominações American Baptist Churches USA e a Alliance of Baptists.

Caso semelhante no Brasil.

Em 2011, o casal de pastoras Lanna Holder e Rosania Rocha fundaram o templo ''Cidade de Refúgio'', que possui capacidade para abrigar mais de 2 mil pessoas, entre bissexuais, transexuais, gays e lésbicas. Os frequentadores do local consideram os cultos na ''Cidade do Refúgio'' como um verdadeiro espetáculo, além de diversos shows de música gospel, as pastoras também leem trechos da Bíblia. De acordo com a pastora Lanna, ela explica que a maioria dos frequentadores dos cultos são formados por casais homossexuais, mas há uma pequena porção de casais heterossexuais, simpatizantes da causa.

Ainda de acordo com ela, na cerimônia do último domingo (29), o culto foi pregado para mais de 500 pessoas, incluindo gays, lésbicas e casais heterossexuais. A história de vida das pastoras Lanna e Rosania acabou rendendo um livro que foi lançado no final de 2015. Atualmente, o casal vive em São Paulo com mais dois filhos de seus primeiros casamentos, com idades entre 18 e 13 anos. #pastor da igreja batista #polêmica religiosa #Religião