Arqueólogos descobriram, em uma caverna em um penhasco do deserto da Judeia, rolos de pergaminho do Mar Morto datados do século IV a.c. Essa é a primeira descoberta em 60 anos. Foram encontrados mais de 800 documentos escritos em hebraico, aramaico e grego, na pele de animais e em papiros. Os pergaminhos, segundo a Universidade Hebraica de Israel, estavam desaparecidos e provavelmente foram saqueados por beduíinos por volta de 1950. Além de conter as cópias antigas de textos bíblicos, eles também incluem muitos escritos sobre a vida nos séculos I e II. Alguns estudiosos acreditam que uma seita judaica chamada essênios tenha escrito os pergaminhos, mas não se sabe realmente quem os escreveu.

Publicidade
Publicidade

As escavações

A equipe que escava a caverna foi conduzida por Oren Gutfeld e por Ahiad Ovadia, da Universidade Hébreia de Jerusalém, com Randall Price e estudantes da Universidade da Liberdade em Virgínia. Gutfeld disse: “Até agora foram encontrados pergaminhos do Mar Morto em apenas 11 cavernas em Qumran, mas agora não há dúvidas de que está é a 12ª caverna. Eu imagino que eles entraram no túnel, encontraram os frascos e pegaram os pergaminhos. Eles abriram os pergaminhos e deixaram tudo".

Oren também disse que isso é apenas a primeira de uma série de descobertas, com centenas de cavernas ainda a serem exploradas. Na escavação foram encontrados frascos de cerâmicas e invólucros escondidos em nichos ao longo das paredes da caverna. A equipe também encontrou um selo de cornalina e uma pedra semipreciosa, evidência de que pessoas viveram na caverna.

Publicidade

Manuscritos do Mar Morto

Os primeiros manuscritos que foram encontrados do Mar Morto foram descobertos em 1947, por um jovem pastor beduíno que procurava uma ovelha perdida em Qumran, na Cisjordânia. Os manuscritos foram considerados autênticos em 1948. Em 1954 o governo israelense comprou os pergaminhos de um bispo por 250 mil dólares. A autoria dos pergaminhos do Mar Morto é desconhecida até os dias de hoje. Com base em informações históricas que foram cruzadas e analisadas, os pergaminhos foram escritos pelos essênios, considerada uma seita judaica que viveu na região das descobertas dos rolos. O que se tem conhecimento é que a comunidade de Qumram morava no deserto e era formada por homens opositores à religiosidade dos sacerdotes e esperavam a vinda de um messias. #Curiosidade #2017 #Mundo