Hoje em dia, um turista pode almoçar em uma tenda de alguma praia deserta na Bahia e pagar a conta com o #Cartão de Crédito. Além disso, a nova tendência são os pagamentos, através de aplicativos, direto do celular. Ter #Dinheiro na carteira é cada vez mais irrelevante no nosso cotidiano, já que o uso de cartões de crédito ou débito tem aumentado tanto em oferta quanto em demanda.

No caso do Brasil, o uso do cartão de crédito/débito também é uma alternativa mais segura, já que esses cartões são cada vez mais protegidos por senhas, chips, letras e códigos, que garantem ao usuário que ninguém terá acesso à sua conta bancária.

Publicidade
Publicidade

O fim do dinheiro já é uma realidade na Suécia

Os tempos são outros, ainda mais nos países desenvolvidos do norte europeu. Países como Suécia, Finlândia, Dinamarca e Noruega já se tornaram famosos por estarem um passo à frente do mundo ocidental. No caso da #Economia e do dinheiro de plástico (e virtual também), a Suécia é pioneira. Nem os próprios bancos aceitam pagamentos em dinheiro para altas quantias.

O uso do cartão e de aplicativos já é tão disseminado que alguns restaurantes não aceitam pagamentos em espécie, e na igreja, é possível pagar o dízimo pelo celular.

Nas feiras livres suecas (as tradicionais feiras temáticas: de Natal, de inverno etc.), a forma de pagamento quase unânime é o próprio celular. O mais famoso método de pagamento nas feiras, que geralmente possuem barracas pequenas, e que não aceitam cartão, é o Swish, aplicativo que permite ao usuário o pagamento instantâneo através de transferência bancária.

Publicidade

Esse aplicativo é bastante semelhante aos aplicativos de alguns bancos, com a diferença de aceitar contas de várias instituições financeiras diferentes. Enquanto alguns suecos comemoram as mudanças, outros a veem com desconfiança.

O fato de o banco ter controle total do dinheiro da população, que paga por esse serviço, não é visto como um benefício para alguns dos suecos. Talvez a impossibilidade de retirar todo o salário em espécie do banco também já é um fato, e não agrada a todos.

Segundo o Banco Central, apenas 2% de todos os pagamentos feitos na Suécia são realizados com dinheiro em espécie. O Banco Central da Suécia afirma que em menos de 15 anos as operações com dinheiro vivo chegarão a zero, transformando o país na primeira sociedade sem dinheiro da história. A expectativa é que até 2030 as cédulas de dinheiro e as moedas sejam abolidas.

Leia também:

Por que você não precisa parar de comer gordura para emagrecer

Low Carb: tudo o que você precisa saber sobre a dieta dos famosos