O nível de rigor com que adultos educam crianças que estão sob sua responsabilidade não é algo que fique restrito na vida particular das famílias norte-americanas.

Em alguns estados americanos, se há abusos nos corretivos e agressões físicas envolvendo a relação de pais e filhos, o assunto passa a ser de interesse público e o Estado entra na história.

Foi o que aconteceu com um morador Houston, nos Estados Unidos, na última quinta-feira (16). O homem foi flagrado por um celular batendo no enteado, de apenas 7 anos, com um cinto de couro. Kordarell Williams, de 27 anos de idade, foi denunciado por abuso infantil e preso.

As imagens com a surra causaram polêmica e muita discussão sobre o que é certo e o que é errado na hora de punir os menores.

Publicidade
Publicidade

Segundo o padrasto, ele tomou a atitude correta para corrigir a atitude do pequeno, que teria roubado um carregador de celular de uma loja das redondezas.

O vídeo que mostra a sequência dos fatos comprova que a surra foi dada em meio a uma via pública. Além de ter ido parar nas autoridades policiais locais, as imagens foram divulgadas pelo jornal Daily Mail.

Na filmagem, o homem se utiliza do objeto de couro para atingir o garotinho pelo menos 62 duas vezes. Para isso ele o detém pelo braço, de forma que o menor não tem como fugir ou como se defender. As cenas são bem fortes, mas na internet apenas uma versão menor do vídeo veio à público.

Ao que tudo indica, um morador próximo da família, que prefere ter seu nome em sigilo, registrou a violência. Foi este mesmo cinegrafista amador que resolveu mostrar o conteúdo para a polícia, que imediatamente abriu uma investigação e prendeu o adulto algumas horas depois da filmagem.

Publicidade

Os agentes conseguiram localizar o padrasto por meio da placa de seu carro. Uma audiência judicial foi realizada ainda na semana passada, onde Williams confessou ter agredido o menor, argumentando que o fez para seu próprio bem.

Não há informações sobre o estado de saúde da criança. Mas, segundo a imprensa local, a vítima foi colocada sob tutela do governo e afastada da moradia. As autoridades consideram que a integridade física e psicológica do menor está em risco.

Já a mãe da criança não quis falar sobre a violência sofrida pelo filho.

#Crime #Casos de polícia