Alguém poderia perguntar o que está acontecendo com o mundo ultimamente por razões que podem ser entendidas por todos, tais como: aumento dos exercícios militares e comparações de poder bélico entre as grandes superpotências; conflitos e guerras civis disseminados principalmente nos países do Oriente Médio e continente africano; suposto retorno da “Guerra Fria” na esfera da diplomacia internacional; vitória inusitada de #Donald Trump para ser o presidente dos Estados Unidos, entre tantos outros acontecimentos de grande relevância, apontando mudanças rápidas e drásticas no cenário mundial.

E por falar no republicano Trump, o mesmo em poucos dias de governo na Casa Branca já expediu inúmeros decretos que têm causado perplexidade e alvoroço no planeta.

Publicidade
Publicidade

O mais novo foco de atenção do momento foi revelado por John Kelly, Secretário de Segurança Nacional norte-americano, sendo que esse disse que a partir de agora, todos os solicitantes de visto para entrar nos #EUA, terão obrigatoriamente, as suas contas nas diversas #Redes Sociais pesquisadas.

Sim! É isso mesmo, pois Kelly se manifestou com todas as letras e foi muito claro ao falar que “a análise das redes sociais será realizada durante o processamento das solicitações de visto".

Enfim, desde que o presidente Donald Trump assumiu o poder, ficou comprovado que o político parece ser movido ao enfrentamento, frases bombásticas de efeito polêmico e um adepto de emissões e assinaturas sequenciadas dos mais diferentes tipos de decretos. Tanto é assim, que na última sexta-feira, Trump foi o responsável principal em registrar a sua assinatura no decreto que suspende pelo período de 4 meses a recepção de refugiados, pelos mais diferentes motivos, em solo norte-americano e vai um pouco mais além, pois Donald Trump obstrui por tempo não determinado, o ingresso dos refugiados sírios nos EUA.

Publicidade

Outro ponto importante é que o processo como um todo da nova política republicana para a América, é o endurecimento de todas as etapas para se conseguir um visto para se ingressar nas terras do “Tio Sam”; além do que, cidadãos do Iêmen, Iraque, Síria, Irã, Sudão, Somália e Líbia estão literalmente proibidos por 90 dias de pisar nos Estados Unidos, países esses cujas populações são majoritariamente muçulmanas.

O passo a passo dos vistos emitidos nos departamentos consulares foram dificultados para uma série de nações, até mesmo para a poderosa Rússia, pois o objetivo básico do maior controle na emissão dos documentos é o de monitorar com rigor as pessoas estrangeiras que vivem nos EUA. O curioso disso tudo, é que os EUA assim como o Brasil, onde os únicos habitantes verdadeiramente nativos são os índios, tem sua população formada por hordas de imigrantes que resolveram ir atrás do sonho de liberdade e prosperidade da então América.