Brianne Altice, de 37 anos, ex-professora de inglês na Davis High School (EUA), não conseguiu conter as lágrimas durante seu emocionado apelo à comissão de condicional, mas seu pedido foi negado pelas autoridades. Altice foi detida em outubro de 2013, acusada de manter relações sexuais com três estudantes, dois de 17 anos de idade e um de 16 anos. Levada a julgamento, ela recebeu em 2015 três penas de 15 anos de prisão, duas consecutivas e uma delas simultânea, totalizando trinta anos de reclusão. Em uma audiência preliminar do julgamento, todos os três jovens, hoje adultos, confirmaram ter feito #sexo com a #Professora.

O adolescente de 16 anos, durante a investigação policial, descreveu as tatuagens da professora, que normalmente ficavam debaixo das roupas dela. Ele também foi capaz de descrever detalhadamente a casa onde mantiveram relações sexuais cinco vezes. O resultado de seu depoimento foi devastador e teve grande influência na condenação que ela recebeu.

Na malograda audiência de condicional, a ex-docente disse que tinha perdido de vista seus valores e princípios e que seus casos com alunos tinham sido uma maneira totalmente inapropriada de lidar com seus problemas pessoais, dos quais ela afirmou estar mais consciente agora. Segundo explicou, a relação com os adolescentes, especialmente as coisas que eles lhe diziam, faziam-na sentir-se bem consigo mesma e ela tratou de racionalizar o ato errado que estava cometendo ao se envolver sexualmente com os menores. Ela admitiu que a culpa não era do então marido dela (que, depois que as relações extraconjugais da professora foram descobertas, decidiu pedir divórcio e requerer a guarda dos filhos do casal), não era da escola e não era dos estudantes. Foram as "más, más escolhas" que ela fez, disse, que a colocaram diante da comissão de condicional. Ela declarou-se muito arrependida de seus aros lamentáveis. Tem sido dito que, na escola em que ela lecionava, era piada corrente entre os estudantes perguntar com quem a “senhorita Altice” estava dormindo agora.

Antes da próxima audiência de condicional, que deverá ocorrer apenas em abril de 2019, ela terá que passar por um programa de tratamento para agressores sexuais. #Theacher