Após ‘escândalo’ que chamou a atenção do mundo todo em que envolvia um caso amoroso entre um aluno menor de idade e uma #Professora, a #Justiça finalmente decide o que fazer: prender a docente que já havia se demitido da escola em que lecionava. O jovem envolvido nesse caso tem 17 anos e a professora, 24. De acordo com a própria profissional, ela enviava fotos nuas para o adolescente e também afirmou que já dormiu com ele por mais de cem vezes. Ela se chama Mary Beth Haglin e vive nos Estados Unidos. A loira conta que precisou largar o emprego de docente para se dedicar a uma vida de stripper, pois, para ela, a sua reputação na área da educação acabou sendo ‘manchada’ e não havia mais motivação para ela continuar lecionando.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o canal americano TV KCRG, na época que a notícia se tornou pública, Mary foi bastante criticada, bombardeada pela opinião pública e a Justiça, para muitos, ‘ameaçava’ prendê-la por um bom tempo. No entanto, a sentença saiu essa semana e foi reduzida para ‘apenas’ dois anos e noventa dias de prisão, mais pagamento de multas. À época do vazamento das informações, a professora, através de seus advogados, afirmava que todos na escola sabiam que ela tinha encontros íntimos com esse aluno, no entanto, mesmo a direção quanto os demais integrantes da Instituição Escolar ‘abafavam’ o caso para não ‘sujar’ a imagem da escola.

No entanto, nesse segundo depoimento de Mary, antes da sentença definitiva sair, a professora contou que o menor de idade a ameaçava e fazia chantagens à ela.

Publicidade

A loira explica que o adolescente, caso ela deixasse de dormir com ele, fazia ameaças de “tornar a vida dela um inferno”. No entanto, nesse mesmo depimento, Mary admite que ela e o jovem “dormiram juntos centenas de vezes”, além disso, eles também trocavam fotos completamente sem roupas por várias vezes, através de aplicativos instalados nos próprios celulares. Algumas pessoas criaram páginas no facebook com o objetivo de defender a professora condenada.

Antes da prisão, Mary Beth Haglin vivia como uma stripper onde conseguia dinheiro para sobreviver, pagar suas contas e se alimentar, em um bar localizado no estado americano do Iowa. #Estupro