A maioria dos alunos já nutriu algum tipo de sentimento por suas queridas professoras. Seja aquela #Professora adorável de educação física, ou a temida professora de matemática, muitos alunos já se viram caidinhos por suas educadoras.

Grande parte desse sentimento é platônico e não passa de apenas desejo. Isso porque muitos não têm coragem de assumir seu sentimento pela professora, ou até já assumiu, mas quem não quis nada foi a professora, temendo pelo seu emprego.

um relacionamento com um aluno pode trazer sérios problemas para educadores, que estão lecionando aulas para adolescentes e adultos. É impossível não receber elogios e até investidas dos alunos, que ficam mais corajosos na presença de seus amigos dentro de sala.

Publicidade
Publicidade

Muitos acabam até fazendo declarações em público para suas educadoras, fazendo com que todos saibam do seu sentimento pela mulher. Algumas professoras acabam respondendo às investidas de alguns alunos e começam um relacionamento perigoso para sua profissão. Essas profissionais acabam perdendo o direito de trabalhar com educação, por manter um relacionamento com um menor de idade.

Como foi o caso da professora Mary Beth Haglin, de apenas 24 anos. A bela professora manteve um caso durante meses com um aluno. A mulher admitiu ter dormido com seu aluno por centenas de vezes.

O aluno chegou a chantagear a professora, que acabou sendo condenada. Após perder seu emprego, Mary decidiu virar stripper, abandonando a carreira na educação pública dos EUA.

Mary foi condenada a dois anos de prisão por manter um relacionamento com seu aluno de 17 anos.

Publicidade

A pena da jovem foi reduzida em noventa dias, e a professora começou a trabalhar como stripper em um bar no estado de Iowa.

Uma página chegou a ser criada nas redes sociais em apoio a professora condenada. Não demorou muito para que Mary recebesse apoio de todo o mundo, inclusive de brasileiros. Após seu caso ganhar repercussão mundial, a professora acabou ficando conhecida na internet, chegando a receber mensagens de brasileiros, que desejariam ter uma professora como ela na rede de ensino pública do Brasil.

#Crime