Após um evento universitário acabar em protesto, o presidente dos Estados Unidos #Donald Trump ameaçou cortar verbas de universidades que não garantam um espaço aberto a todos os discursos e vertentes ideológicas.

Um discurso organizado na Universidade Berkeley, na Califórnia, teve de ser cancelado devido a intensos protestos. O palestrante, #Milo Yiannopoulos, sofreu represálias pela sua posição política. Milo é um jornalista britânico e de #direita, editor do Bretibart News, um site de opiniões políticas e de direita dos Estados Unidos. Cartazes do protesto contra Milo chamavam-o de "lixo nazista", entre outros insultos, e contaram com centenas de participantes.

Publicidade
Publicidade

Na manifestação pública, pessoas atearam fogo a um gerador, quebraram janelas e criaram conflito com agentes policiais. Poucas horas antes do horário marcado para o início do evento, estudantes atiraram pedras e barricadas de metal pelas janelas da universidade. O convidado do partido republicano teve de sair do local escoltado pela polícia.

Outros eventos de Milo Yiannopoulos já foram ameaçados anteriormente. A própria escola frequentada pelo jornalista em Canterbury, Reino Unido, teve de cancelar uma palestra do mesmo devido à ameaça de protestos. A Universidade da Califórnia, a apenas 100km de U.C. Berkeley, também precisou cancelar eventos com Milo Yiannopoulos sob protestos semelhantes.

Após o evento, que ocorreu nessa quinta-feira, dia 2 de fevereiro, Donald Trump ameaçou cortar investimentos à U.C.

Publicidade

Berkeley e quaisquer outras universidades que impedissem o direito de livre expressão. Trump declarou que se a instituição não permite liberdade de expressão e exerce violência contra "pessoas inocentes que têm pontos de vista diferentes", estes não poderão usufruir de fundos federais. A declaração foi feita no microblog Twitter.

Yiannopoulos é um conhecido apoiador de Trump, a quem já chamou de "papai" durante sua campanha à presidência. Ele tornou-se também uma figura representativa da chamada "alt-right", ou "direita alternativa". Em avaliações da página oficial de Milo, apoiadores declararam repúdio aos protestos e aos eventos cancelados do jornalista. "Do que vale a constituição se você não pode dizer o que pensa?", comentou um usuário da rede social.