Homero, historiador e escritor da Antiga #Grécia, falou em certa ocasião palavras que mais se assemelhavam a uma profecia repleta de simbolismo e doçura: “ninguém, com toda certeza, é capaz de assumir a liderança em todos os campos, pois para um homem os deuses concederam as proezas da guerra, a outro, a dança, para um outro, a música e o canto, e, num outro, o todo poderoso Zeus colocou uma boa cabeça”. Obviamente que Homero com a sua visão do mundo de então, sofria forte influência da cultura helenística, que preenchia todos os aspectos da vida diária de cada cidadão de outrora. De qualquer modo, é fato que Homero “tinha que ter nascido” realmente grego, pois foram exatamente os gregos, mesmo que com diferenças de alguns anos de um evento para outro, que conseguiram se destacar no campo militar, nas artes de modo geral e na sabedoria dos seus filósofos, matemáticos, médicos, astrônomos e por aí vai.

Publicidade

A maior parte dos brasileiros e cidadãos dos quatro cantos do mundo, que tiveram a oportunidade de conhecer a Grécia, sejam algumas de suas ilhas paradisíacas ou os pontos turísticos mais concorridos do continente grego, relatam, com emoção, que a partir desse momento a sua percepção não foi mais a mesma, tendo se tornado apurada para os detalhes, nuances e singeleza das cenas e construções do povo helênico. Um exemplo claro disso são a beleza e a magia divina estonteantes, que reinam juntas em uma região da Grécia Central denominada Meterora.

Os enormes penhascos de arenito de cor escura que formam o acervo geológico de Meteora estão localizados em Kalambaka, bem próximos das colinas de Pindo e Chassia, produzindo sombras que parecem dançar e correr como um bando de crianças por entre as casas e ruelas da pequena cidade. Enfim, tudo o que se faz presente nesta parte da Grécia parece ter mais poesia, música, história, religiosidade, segredos, o canto dos pássaros, isto é, tudo ali parece estar mais inflamado do espírito imortal dos gregos e de sua extrema sede de vida.

Sobre os rochedos de Meteora foram construídos complexos que são mosteiros ortodoxos, constituindo assim o segundo grupo monástico principal da República Helênica, tendo a 1ª posição representada pelas inúmeras igrejas que estão debruçadas, como que se fossem sentinelas para o Mediterrâneo, também em rochedos do Monte Athos, bem próximo a Halkidiki, região turística do Norte da Grécia, próxima à cidade de Thessaloniki.

Dos trinta monastérios que foram construídos com o passar dos anos sob a ocupação turco otomana no país, somente sete igrejas encontram-se em funcionamento desde o ano de 1988, as quais foram incluídas na lista de monumentos pertencentes ao patrimônio mundial da humanidade. Muitos dos que puderam vivenciar este cenário, não contiveram expressões revestidas de lágrimas, risos, e exclamações de admiração e espanto. Meteora na Grécia, um lugar que tem de se conhecer antes de morrer!

Conheça Meteora e arrume imediatamente as suas malas rumo à Grécia

#Turismo #Religião