Ao saber de primeira mão da notícia que se segue, muitas pessoas podem ser tomadas pela surpresa ou mesmo ficarem incrédulas, pois o tema é, no mínimo, um tanto surpreendente. Acontece que um #vereador da distante #Suécia, mais especificamente representando uma pequenina cidade localizada na região do Circulo Polar Ártico, ou seja, um local extremamente frio, onde o sol aparece poucas vezes durante o ano, o que pode implicar direta e negativamente no humor dos habitantes e funcionários da prefeitura local, veio a público com a proposta de que tais servidores possam fazer sexo em intervalos pré-estabelecidos durante o horário de trabalho.

Erik Muskos, que é o vereador autor do projeto de lei, e que representa a cidade minúscula de Overtornea, fincada no extremo-norte do país escandinavo, advoga que os colaboradores, ao interromperem as suas atividades seculares para poder manter relações sexuais com os seus respectivos parceiros, não sejam descontados dos seus salários mensais.

Publicidade
Publicidade

Até mesmo por que como o próprio Muskos fala, o incremento nas relações sexuais dos habitantes daquela parte do mundo faria com que houvesse o incremento na motivação e ainda na produtividade laboral dos funcionários públicos. Outro detalhe que não pode ser desconsiderado é que a taxa de natalidade da cidadezinha seria impulsionada, uma vez que só existem aproximadamente 4,5 mil moradores por lá, ou seja, em outras palavras, a "hora do #sexo" para o trabalhador que labuta duro todos os dias faria "milagres" na Suécia.

“Quase todos os 550 empregados do município já se apressaram em aceitar a proposta que será abordada pelos vereadores nos meses vindouros", reitera Muskos. A exceção está com os servidores que têm idade mais avançada e, justamente por isso, consideram que é algo “embaraçoso" legislar sobre as práticas sexuais de cada um.

Publicidade

Por outro lado, Erik Muskos está obcecado com o propósito de que a depressão e o tédio de uma cidade remota e gelada como Overtornea só podem ser combatidos eficazmente com sexo, muito sexo. Isso é o que fica bem claro nas palavras do vereador quando ele diz à rede de notícias BBC da Grã-Bretanha o seguinte: “Devemos cuidar uns dos outros... Se assim conseguirmos melhorar nossas relações, então terá valido a pena".