Mesmo que a nova tendência mundial seja cada vez maior abolir a prática de maus-tratos aos #Animais, na China, o país ainda continua ligado a seus antigos costumes, que na maioria das vezes são beneficiados por ''brechas'' legislativas que acabam favorecendo o agressores.

Para muitos, a venda da carne de cachorro é considerada um negócio bastante rentável, que vale em torno de 10 milhões de euros por ano. A carne de cachorro é muito popular na região nordeste da China, que faz fronteira com a Coreia do Sul. As informações do jornal ''Daily Mail'' apontam que as leis que servem para proteger animais, como cães e gatos, praticamente não existem na China.

Publicidade
Publicidade

A única região da China que proibi o consumo da carne de cachorro fica em Hong Kong.

Um vídeo publicado na internet mostra o momento de crueldade praticada contra um cachorro da raça Galgo, na província de Shijiazhuang, na China. No decorrer do vídeo, é possível perceber duas pessoas que teriam forçado o animal a entrar em uma jaula e depois colocado dentro de uma panela com água fervente. Assim que foi flagrado dentro da água fervente, o cão começa a uivar de dor e permanece dentro da panela até a morte. Minutos depois, já sem vida, o animal é retirado da panela e colocado no chão para ter o coro retirado. Durante o vídeo, é possível observar que outras pessoas que passam pela rua observam o trabalho, inclusive crianças são flagradas prestando atenção na ação dos homens.

As estimativas apontam que cerca de 10 milhões de #Cachorros são mortos por ano para serem comercializados em mercados de carne.

Publicidade

De acordo com as informações da ativista Michele Brown, da ONG Fight Dog Meat, os cães e gatos são muito mal tratados naquele país. Ainda de acordo com Michele, estas torturas são fruto das antigas crenças, que sugere que a carne dura é benéfica para a saúde e aumenta o apetite sexual do homem.

Em entrevista para o jornal ''Daily Mail'', Michele explicou que a única maneira para se obter a carne dura é afundar o cachorro consciente em água fervente. É quando a adrenalina do animal faz com que sua carne fique mais firme. Há casos em que esses animais são torturados por horas antes de serem mortos. A ativista também explica que o consumo da carne de cães e gatos não está restrito apenas a China. Segundo ela, países como Coreia do Sul, Vietnã, Camboja e Índia, Coreia do Sul e alguns países da África também são grandes apreciadores da iguaria.

#mal trato aos animais