Uma mulher que atirou no marido de sua filha, morto há quase três anos, foi filmada durante depoimento com a polícia comemorando a #Morte de seu genro sem mostrar remorso.

Na semana passada, promotores mostraram ao juiz em um tribunal na cidade de Vista, na Califórnia, um #Vídeo de Cynthia Cdebaca, de 65 anos, comemorando a morte de Geoward Eustaquio.

Cdebaca matou Eustaquio na manhã de 11 de fevereiro de 2014, em sua casa, em Fallbrook, Califórnia, um subúrbio ao norte de San Diego.

Cdebaca disse à polícia que ela planejou o tiroteio por duas semanas, de acordo com a imprensa americana.

Na manhã do tiroteio, Cdebaca disse à polícia que ela e seu genro estavam tendo uma discussão.

Publicidade
Publicidade

“Eu me vesti para a festa da minha neta e ele disse: 'você não pode ir assim'". Ele me disse: "você parece do gueto".

Ela disse que estava zangada quando Eustaquio lhe disse que ela não foi convidada a frequentar a festa da sua neta naquele dia.

Cdebaca então descreveu como ela atirou em seu genro por 10 vezes, mesmo parando para recarregar após ferir inicialmente ele. “Eu atirei 10 vezes, então ele entrou na casa e trancou a porta", disse Cdebaca.

Ela disse que ela continuou a atirar na porta. Ela então entrou na casa e ficou de pé sobre seu genro, enquanto ele estava quase morrendo.

Quando ela percebeu que ele ainda estava vivo, ela parou para recarregar sua pistola e atirou nele novamente usando um revólver de calibre 38.

Imediatamente após o tiroteio, Cdebaca sentou-se para tomar o café da manhã.

Publicidade

Ela então foi jogar e depois passou pela sua loja de café favorita, de acordo com a imprensa americana.

Logo depois, ela foi presa.

Os promotores dizem que ela comprou a arma duas semanas antes do tiroteio.

"Você atirou até ficar vazia?", perguntou um detetive a Cdebaca no interrogatório inicial.

"Sim, até ficar vazia", disse Cdebaca.

"Você o examinou depois que o matou?", perguntou o detetive.

"Eu não me importei", respondeu Cdebaca. "Eu faria de novo", completou.

Ela disse que ela e sua família sofreram com o abuso de Eustaquio por mais de uma década.

O vídeo mostrava cada membro da família de Cdebaca abraçando-a e dizendo adeus antes de ser levada para a prisão

Quando Cdebaca quis abraçar sua neta mais nova, a garota recusou o abraço, e disse: "Não, você matou meu pai".

Assista:

#Estados Unidos