Charley Bailey, de 19 anos, estava grávida de seis meses quando sofreu um vil ataque de #pornografia. O ex-namorado e pai de seu filho, Thomas Ormsby, também de 19 anos, compartilhou no #Facebook um #Vídeo de sete minutos do casal fazendo sexo, para se vingar de Charley, que tinha terminado tudo com ele. Como vingança, o jovem, aspirante a rapper, causou todo esse embaraço e humilhação para a ex-namorada, em um momento crucial de sua gravidez. A jovem pensou em suicídio e aborto, e demorou meses para superar, até que resolveu deixar o anonimato, compartilhando sua história, para que outras mulheres não passem por uma situação igual.

A jovem inglesa ficou tão traumatizada com toda essa exposição de sua intimidade que, quando o bebê nasceu, ela nem conseguia segurá-lo no seu colo.

Publicidade
Publicidade

Tudo porque ele parecia com Thomas, e essa imagem a deixava ainda mais devastada. "Lucas é todo o meu mundo agora, mas eu tenho que falar sobre o que seu pai fez para avisar os outros", contou Charley, em declarações ao Mirror.

Charley admitiu que, depois do vídeo ter caído na internet, ela pensou em se suicidar, tamanha foi a vergonha que ela sentiu. Quando o bebê nasceu, Ormsby já estava preso e foi um dos primeiros a ser condenado com cadeia por causa de pornografia, na Grã-Bretanha. Agora, Charley está falando bravamente sobre seu pesadelo, oferecendo esperança para outras mulheres que passaram por provações semelhantes. "Ele foi preso, mas eu sou a única a lidar com isso. Isso teve um enorme impacto em mim. Eu estava carregando o bebê desse homem. Como poderia ter feito isso a alguém que tem seu filho dentro dela?", revelou Charley ao jornal Mirror.

Publicidade

No tribunal, Thomas Ormsby, que tinha traído a namorada Charley, e por isso que ela terminou tudo com ele, falou que queria que ela sofresse "o máximo de dor possível", após um relacionamento de dois anos. Alegadamente, o vídeo teria sido gravado secretamente, sem que Charley tivesse conhecimento, até que ele o compartilhou no Facebook. A administração do Facebook retirou o vídeo depois de Charley ter chamado a polícia e Ormsby condenado a quatro meses de cadeia. Porém, a jovem está contando sua história, para que as leis contra vingança por pornografia possam proteger outras mulheres, que são filmadas secretamente.

Agora, depois que sua pena já foi cumprida, Ormsby quer entrar na Justiça, exigindo direitos para visitar seu filho.