A tranquilidade de #Edward Snowden pode estar por um fio. O analista de sistemas e ex-funcionário da CIA, que ganhou fama mundial, com direito a livros biográficos e filmes, pode ser enviado para os Estados Unidos.

Edward se tornou um fugitivo após revelar para o mundo que o governo americano, na época governado por Barack Obama, havia obtido dados pessoais e de e-mails de cidadãos de diferentes países, bem como realizado escutas telefônicas nos telefones de chefes de Estado, como Angela Merkel, da Alemanha e Dilma Rousseff, do Brasil.

Snowden não pôde voltar mais aos EUA, pois lá, seria julgado pelo direito penal do inimigo, como se fosse um desertor que colocou em risco a segurança nacional.

Publicidade
Publicidade

Tal procedimento judicial impede que o réu tenha direito a um advogado e sua pena é sempre garantida. O que muda é que o juiz pode decidir pela prisão perpétua ou pela pena de morte.

A informação sobre a possível extradição de Snowden, foi divulgada pela inteligência americana (agência do governo) e a Casa Branca disse que o receberia de ‘bom grado’, uma vez que o rapaz possui várias acusações processuais e que deve ficar, no mínimo, 30 anos na prisão.

Ao ser procurado pelo jornalismo da NBC News, o advogado de Snowden, Ben Wizner, disse que ele não possui nenhuma informação sobre o retorno de seu cliente aos Estados Unidos e que o governo não revogou o seu asilo ou seu visto de permanência, que tem validade até 2020.

Sempre desconfiados, os Estados Unidos também veem com cautela a suposta boa vontade de #Vladimir Putin.

Publicidade

Para Juan Zarate, ex-assessor da segurança nacional, a Rússia já obteve todas as informações que precisava sobre os Estados Unidos e devolver Snowden não seria apenas um ato de parceria entre os dois países, mas um risco, pois o governo russo pode usar as informações que obteve para vencer os EUA através de atividade cibernética e vigilância. Ele não especificou que tipo de ‘vitória’ seria essa, se como um ataque cibernético ou guerra.

Já Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin, acreditar na extradição de Edward Snowden é uma grande bobagem. Até porque, em 2013, Donald Trump disse em uma rede social que o analista era um espião e deveria ser morto, logo, o governo russo sabe que extraditar o jovem o fará ser punido com a pena mais forte dos EUA. Vale salientar que, na mesma época que Trump deu tal declaração, ele afirmou que se fosse o presidente americano, tinha certeza que Putin entregaria Snowden para que o mesmo fosse punido duramente. #Donald Trump