Refugiados sírios na cidade de Peine, no norte da #Alemanha, iniciaram, na noite de sábado(25), uma briga de rua com outros imigrantes. Os dois grupos arremessavam pedras enquanto gritavam "Allahu Akbar" (Deus é Grande), antes que a polícia chegasse ao subúrbio para deter o confronto.

Um vídeo, filmado durante o ocorrido, mostra as gangues de imigrantes correndo pela rua, gritando "Allahu Akbar". A primeira gangue avistou a outra, no fim de uma rua, e começou a atirar pedras, fazendo com que a segunda viesse correndo em direção da primeira, ao som de salvas de "Allahu Akbar".

Assisa ao vídeo, logo abaixo. Nele, é possível ouvir o som de vidro sendo esmagado e objetos atirados o tempo todo.

Publicidade
Publicidade

De acordo com relatos da imprensa alemã, "10 #Refugiados com origens, principalmente, imigratórias da Síria e da Palestina" começaram o caos, antes de se confrontarem com "cidadãos alemães de descendência turca, curda e libanesa".

Cerca de 50 pessoas estiveram envolvidas na batalha, durante a qual "vários carros estacionados foram danificados pelas gangues".

"A polícia apenas foi capaz de separar os grupos com uma equipe grande e com o reforço de outros departamentos", diz o relatório. Depois que as autoridades descobriram que as duas gangues estavam planejando outra batalha para acontecer na noite de domingo (26), a polícia chegou com antecedência para sufocar o caos.

O vídeo do incidente recebeu mais de 200 mil visualizações no Facebook, fazendo com que muitos alemães reagissem com fúria nos comentários.

Publicidade

Conflitos violentos entre diferentes seitas muçulmanas tornaram-se comuns nas principais cidades europeias.

Em novembro do ano passado, a área em torno do metrô, na estação de Stalingrado, em Paris, tornou-se um "campo de batalha de refugiados rivais, atirando-se uns sobre os outros, em cenas chocantes de violência".

Os alemães estão desesperados, não só com a violência causada pelas brigas de rua e assaltos, mas, principalmente, pelas ondas de estupro. Há relatos de alemães formando gangues para fazer patrulha e vigia durante a noite, a fim de proteger as mulheres alemãs. #Mundo