Os pais de Maddie têm vivido um autêntico pesadelo, recebendo em média cerca de 150 mensagens no “Twitter” de pessoas, sobretudo mulheres, que escrevem ameaças e insultos ao casal britânico. Tal como informa o site “The Sun”, Kate e Gerry pretendem agora avançar com vários processos judiciais para os autores desses abusos na internet, apesar da enorme dificuldade que têm em identificar as pessoas, pois a maioria utilizada perfis falsos. O grande motivo para esses ataques está relacionado com o fato do casal ter deixado os três filhos sozinhos para se divertirem em um bar.

Foi no dia 3 de maio de 2007, passados praticamente dez anos, que um dos casos criminosos mais misteriosos e midiáticos da #Europa iniciou, quando uma criança britânica, passando férias com a família no sul de Portugal, desapareceu por completo, sem deixar qualquer tipo de rasto.

Publicidade
Publicidade

Depois de muitos milhões investidos por parte dos dois países e de muitas teorias, os pais de Maddie continuam sofrendo com a ausência da filha, mas também com o ataque constante de desconhecidos.

Em uma investigação feita pelo conhecido jornal inglês “The Sun”, os jornalistas chegaram à conclusão de que mais de uma centena de mensagens de ódios estão presentes nas redes sociais do casal, que tenta fugir ao máximo desse pesadelo. A mesma publicação garante que as coisas que são ditas nessas mensagens nunca poderiam ser ditas na rua, frente a frente, dada a enorme gravidade que está sendo dita.

Apesar dessas conclusões arrepiantes e que acabam por aumentar a dor do casal, que vai dar uma série de entrevistas, onde vai ganhar muito dinheiro, muitos portugueses e ingleses, nas redes sociais, continuam acreditando que esse crime poderia ter sido facilmente evitado pelos pais, garantindo que, desde o início, o casal deveria ter sido responsabilizado pelas autoridades, tirando a custódia dos seus outros dois filhos.

Publicidade

De recordar que, mesmo passados todos esses anos, as autoridades nunca detiveram nenhum suspeito pelo crime, tendo apenas interrogado centenas de pessoas, sem chegar a nenhuma prova conclusiva. #Investigação Criminal