Nos tempos atuais, em que ambos os pais devem trabalhar para que possam proporcionar uma vida melhor para seus filhos, os pais escolhem com cuidado a creche na qual colocam seus filhos, para que possam estar seguros e protegidos enquanto trabalham. E além disso, na creche as crianças começam a receber a prévia da educação que terão que assumir ao entrarem na escola e brincarem com outras crianças, o que estimula seu crescimento.

Os funcionários desses estabelecimentos, chamados de cuidadores ou professores pedagógicos, devem estar preparados para o que os aguarda. Devem ser pacientes e amar crianças, mesmo que não sejam suas, afinal, cuidar de criança não é fácil, mas com amor tudo é possível. E o pior, é que não é sempre assim, como mostra o caso abaixo, em que uma cuidadora é flagrada empurrando uma criança de apenas 4 anos pelas escadas.

Devido a normas e cuidado para com as próprias crianças, a maioria das escolas possui sistema de câmeras de monitoramento interno, e não é diferente na creche do ocorrido, no estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos. Mesmo que algumas câmeras sejam visíveis, outras foram colocadas sem o conhecimento de todos os funcionários para preservar a segurança das crianças. E foi justamente uma dessas que pegou a funcionária no flagra.

A atitude partiu da cuidadora Sarah Gamble, de 52 anos. Ao chegar próximo à escada, a mulher empurra uma menina de apenas 4 anos do primeiro lance de escadas. E ao perceber ou se lembrar de que a escola possuía câmeras de segurança, ela ajudou a menina a se levantar e a tratou normalmente, como se não tivesse a empurrado de forma deliberada.

O caso ocorreu na sexta-feira, 3 de março, porém, só veio a conhecimento após a fiscalização semanal das câmeras efetuada pela proprietária. Ao se dar conta do ocorrido, a proprietária chamou a funcionária e a demitiu no mesmo instante e encaminhou cópia da gravação para o Departamento de Polícia de Upper Darby, o mais próximo à creche.

Após a liberação da polícia, o vídeo vazou e as imagens foram disponibilizadas na internet e pelo canal de TV WABC. Em entrevista para a emissora, os pais afirmaram que a menina passa bem e que só teve ferimentos leves no joelho e que iriam retirar a menina das instalações, porém, com a dispensa da funcionária, ela iria permanecer na escola.

As imagens revoltaram muitos pais ao redor do mundo e o ocorrido incentivou inúmeras outras escolas a instalarem câmeras de segurança em suas instalações de ensino a pedido dos pais e das próprias instituições.

Até o final da redação deste artigo, a acusada, Sarah Gamble, não possuía um advogado de defesa ou tinha se manifestado sobre o ocorrido. #Crime #Violência