O mundo está em alerta. Governos de quase 40 países estão proibindo (total ou parcialmente) a importação de carne brasileira, no rastro da operação #Carne Fraca, realizada pela Polícia Federal. A postura dos grandes importadores de carne contrasta com a posição adotada pelo governo Michel Temer, que insiste que o alimento é seguro por passar por várias etapas de fiscalização. No meio disso tudo a população fica em dúvida de quem está certo: os governos estrangeiros ou o governo brasileiro?

União Europeia

Em uma atitude emergencial, a União Europeia (que reúne 29 países da Europa) proibiu a entrada na Europa da carne brasileira que está embarcada em navios que estão atravessando o Oceano Atlântico.

Publicidade
Publicidade

Os produtos serão devolvidos ao seu país de origem. A Europa já havia proibido a importação da carne brasileira na semana passada, mas alguns navios partiram do Brasil antes da proibição e ainda se encontram no mar. A viagem da navio entre o Brasil e Europa dura aproximadamente 20 dias. De acordo com a Comissão Europeia, o objetivo é "proteger o consumidor europeu". O comissário europeu para saúde e segurança alimentar, Vytenis Andriukaitis, estará no Brasil na próxima semana, onde irá se reunir com representantes do Ministério da Saúde, Ministério da Agricultura e Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Hong Kong

Hong Kong também adotou medidas drásticas para se proteger da carne estragada do Brasil. Após proibir, na semana passada, importações do produto, a cidade agora realiza uma operação para identificar no comércio local estabelecimentos que estejam utilizando a carne brasileira.

Publicidade

A ideia é retirar o produto de circulação, explicou o secretário de Saúde da cidade.

Resposta do governo brasileiro

Em contraste à postura dos órgãos de saúde de vários países do mundo, o presidente Michel #Temer insiste que os brasileiros podem consumir a carne brasileira com tranquilidade. "A carne brasileira é a melhor do mundo e é forte", disse o político. Temer afirmou ainda que seu governo está trabalhando para evitar que os embargos ao Brasil tragam ainda mais prejuízos ao País. "O espetáculo do anúncio gerou um problema internacional", disse.