Um dos principais cirurgiões cardíacos da Grã-Bretanha está sendo acusado de vários crimes sexuais contra as #mães de alguns de seus pacientes. Mohamed Amrani, de 53 anos, teria se aproveitado de ter alguma influência sobre as vítimas, por ser importante no hospital, para agredir sexualmente quatro mulheres, entre 2001 e 2014, no hospital em Hillingdon, oeste de Londres. No tribunal as mulheres estão sendo ouvidas, relatando os episódios em que esse importante cirurgião britânico dava a entender que elas estavam em dívida com ele, por ele salvar a vida de seus filhos.

Os abusos sexuais aconteciam desde 2001, mas só agora as vítimas estão falando.

Publicidade
Publicidade

Amrani foi finalmente denunciado à polícia em 2015, no momento em que teria tentado fazer uma quinta vítima no hospital privado de Cromwell, em Kensington. Antes desse caso as vítimas sentiram medo de falar, pois isso podia prejudicá-las. Agora finalmente o caso chegou em um tribunal e está chocando a Grã-Bretanha. Os testemunhos são verdadeiramente chocantes e mostram como esse homem tirou proveito de sua posição para, alegadamente, abusar de todas essas mulheres.

Os abusos aconteciam no escritório de Amrani, no hospital. Uma das mães contou como ele a forçou a fazer sexo com ele, falando que "você me deve", por ter ajudado sua criança doente. Quando ela implorou "por favor, não faça isso", Amrani virou-a e disse que ia "fazer sexo com ela por trás". Ela disse que se sentiu "muito, muito abalada" depois do ataque, e sentiu que não podia relatar o incidente por causa da posição de Amrani no hospital.

Publicidade

Uma das vítimas descreveu o homem como "um #Cirurgião absolutamente brilhante", que ajudou quando seu filho ficou doente. Depois de o menino ficar curado, ele teria dito: "Você me deve a ajuda que lhe dei. Lembre-se, você me deve". Enquanto falava isso, ele conduziu a mulher até o seu escritório, onde a beijou, deixando a vítima em "completo choque". Pouco depois, trancou a porta da escritório e recomeçou com os beijos, dizendo que ia fazer sexo com ela. "Por favor, não faça isso, eu realmente não quero que você faça isso", respondeu ela, em pânico, antes que ele a forçasse a fazer-lhe sexo oral.

Outras mulheres relataram casos parecidos, de como ele as acariciava, e que elas temiam não serem levadas a sério porque "os cirurgiões são poderosos". Uma das mulheres teria falado com o gerente do hospital, que a teria ignorado, rindo, como se isso não fosse grave.

Mohamed Amrani realizou a primeira substituição de válvula cardíaca dupla da Grã-Bretanha, em 2007, e realizou operações de transplante que salvam vidas. Ele nega todos os ataques e qualquer contato sexual com as mulheres, e afirma terem inventado as acusações contra ele. Ele está sendo acusado de estupro, agressão com penetração, acusações de agressão indecente e acusações de agressão sexual. #Abuso Sexual