A Coréia do Norte disparou neste domingo, 5, quatro mísseis balísticos contra o Japão. A informação foi confirmada por autoridades japonesas, americanas e sul-coreanas. Dos quatro mísseis (disparados simultaneamente), 3 caíram em águas territoriais do Japão, sem provocar danos. Um dos mísseis tem paradeiro desconhecido. Não há informações se os mísseis tinham cargas pronta para detonação. A marinha japonesa pediu que as embarcações que navegam por sua costa fiquem em alerta e evitem se aproximar de destroços suspeitos.

Publicidade

Estados Unidos

O presidente dos EUA, Donald #Trump, considera que a Coréia do Norte é atualmente a maior ameaça ao país.

Publicidade

A informação foi revelada pela CNN. Uma fonte do governo americano informou à rede de notícias que a Coréia do Norte já possui armas nucleares, mas ainda está desenvolvendo um método de transportá-las até seus "inimigos". Os mísseis lançados neste domingo podem ser um teste das armas que estão sendo desenvolvidas pelo país comunista.

Antes mesmo de Trump assumir o poder, o governo americano já considerava o programa nuclear norte-coreano uma ameaça. O ex-presidente Barack Obama chegou a dizer a Trump, durante uma reunião, que a #Coreia do Norte era a maior ameaça aos EUA. A conversa aconteceu na véspera da posse de Trump. Donald Trump acredita ainda que o presidente da Coréia do Norte, Kim Jong-un, pode ser "louco".

#Guerra

O Pentágono está planejando um ataque militar à Coréia do Norte, informam os jornais britânicos The Sun e The Telegraph. A declaração de guerra aconteceria se os EUA concluíssem que o país asiático está próximo de construir um míssil intercontinental capaz de atingir a América do Norte.

Publicidade

O presidente americano garantiu publicamente que não permitirá que a Coréia do Norte conclua tal arma, mas Kin Jong-un garante que o país já está próximo de tal feito.

O governo americano informou que os mísseis disparados ontem foram monitorados por satélites desde seu lançamento e que em nenhum momento representaram qualquer tipo de ameaça direta ao país.