Um caso terrível ocorrido nesta segunda feira 27 está ganhando grande destaque em toda a imprensa italiana e gerando grande repercussão nas redes sociais. Duas crianças foram encontradas mortas a marteladas em um apartamento em Trento, Itália. Eram um menino e uma menina, de dois e quatro anos respectivamente. Sara Failla, a mãe das crianças, foi quem as encontrou já sem vida e agora está sendo interrogada. A polícia acredita que os assassinatos tenham sido cometidos pelo próprio pai das vítimas, Gabriele Sorrentino, encontrado morto à beira de um penhasco, de onde se jogou. O ex-policial, que trabalhava atualmente como operador financeiro, teria estacionado seu carro nas proximidades do local do suicídio, que fica próximo ao Hotel Panorama, uma estrutura turística em estado de abandono.

Publicidade
Publicidade

O local é uma zona montanhosa que fica a 10 minutos de carro do centro de Trento.

Uma "pessoa normal"

Vizinhos do casal disseram que não havia nada de anormal com o pai das crianças e que ele aparentava ser uma "pessoa normal". O imóvel onde o #Crime ocorreu fica em um condomínio de Albere, projetado pelo famoso arquiteto Renzo Piano. A mãe confirmou que o contrato de aquisição da casa seria assinado hoje. Segundo afirmou, ela teria saído apenas por um momento para resolver assuntos na rua e ao voltar para a casa já encontrou as crianças mortas. A outra filha do casal estaria em viagem escolar e não viu seus irmãos serem assassinados. A polícia acredita que o crime possa ter sido motivado por dificuldades econômicas vividas pelo pai.

Sobre o Filicídio

O filicídio é um ato proposital por parte do pai ou da mãe de matar seu próprio filho e filha.

Publicidade

A palavra vem do latim filius, que significa filho ou filhas, acrescentado de "cide", que significa matar. O termo descreve o assassinato de alguém por seus próprios genitores. Muitos animais cometem o filicídio em função da seleção natural. Entre os seres humanos tal ato viola seus preceitos sociais mais remotos. Um levantamento da Universidade de Manchester demonstrou que há alguns fatores repetidos que, se observados, podem evitar a ocorrência do filicídio, como pais muitos jovens, violência doméstica, negligências, doenças psiquiátricas e depressão pois parto. #Casos de polícia