Andrew Copley, a criança faminta, teve que comer grãos de hamster e biscoitos caninos por uma década, além de sofrer #bullying, ataques físicos e crueldade vindas de sua própria #mãe. A mãe, Christine, agora com 65 anos, espancava o filho diariamente e foi acusada de agressão e maus-tratos contra Andrew. Segundo contam as testemunhas, e a própria vítima, os abusos aconteceram entre os 5 e 14 anos de Andrew, portanto, por quase 10 anos. O caso aconteceu em Exeter, Devon, Inglaterra.

As testemunhas disseram que Christine Copley é agressiva e valentona com todos. A acusação feita pelo promotor, Lee Bremridge, ainda sustenta que Andrew era chutado e intimidado diariamente por Christine.

Publicidade
Publicidade

Andrew, por várias vezes, foi forçado a ficar nu e passar a noite no quintal de casa.

O promotor Bremridge disse que um amigo da família comentou que "Andrew era o menino mais triste que eu vi". O júri também ouviu que Andrew morava com seus pais e seus três irmãos em uma casa de três quartos em Exeter, Devon, e que a casa estava "num estado repugnante" com cães "vagando livre" no andar de baixo e uma bagunça sem fim. Os seus irmãos também eram privados de alimentação adequada, mas Andrew era o mais maltratado.

A história vai ganhando requintes de crueldade quando o júri ouve de Andrew que a mãe comia chocolate e batatas fritas escondida dos filhos, que ele só comia comida de hamster e biscoitos caninos porque estava muito faminto. "Era o que tinha para comer", afirmou o garoto.

Quando era Natal ou aniversário, parentes e vizinhos davam presentes para as crianças e semanas depois a mãe vendia os presentes.

Publicidade

O garoto também sofria bullying na escola porque "fedia" e incomodava os colegas.

A mãe já havia sido denunciada outras vezes, mas Andrew afirma que teve que mentir para as autoridades, senão era ameaçado de apanhar e passar por outras humilhações.

E a crueldade continua. Andrew ainda contou que a mãe o agarrou pelas genitálias e apertou. Ele caiu no chão gritando de dor em agonia. Em outra passagem, seu irmão afirmou que era comum ficar trancado no armário embaixo da escada. Surras, foram inúmeras. E nenhum deles podia reclamar.

E o pior vem agora. Andrew está com 30 anos e só em 2013 teve coragem de revelar os abusos. Aos 15, sem aguentar a situação, fugiu de casa.

Copley, a mãe, nega as sete acusações de crueldade a uma pessoa com menos de 16 anos entre julho de 1983 e julho de 1993.

Seu julgamento continua. #maus tratos