Morgan Banks, de 18 anos, foi condenado a uma pena de prisão perpétua, depois de ser acusado pelo assassinato da namorada. O tribunal de Leeds, na Inglaterra, escutou como o jovem bateu em sua namorada até a morte, em uma "punição de quatro horas", em outubro de 2016, porque ele pensou que ela tinha traído ele. A namorada, Sophie Smith, de 17 anos, ficou com lesões semelhantes a se tivesse sofrido um acidente de carro ou uma queda de muita altura, apenas um mês depois de dar à luz um bebê.

Ela ficou com onze costelas quebradas, nariz quebrado e contusões em todo o corpo depois que Banks a golpeou e a chutou na cabeça e nas costelas enquanto ela se encolhia no chão.

Publicidade
Publicidade

Tudo, porque o jovem se mentalizou que o menino não seria seu filho e que Sophie poderia estar tendo um caso com o seu irmão e primo.

A jovem estaria dormindo, quando foi confrontada por Morgan. O homem exigia saber os nomes dos homens com quem ela supostamente estaria dormindo, e da discussão verbal, passou para a violência extrema, também fisicamente. O advogado de Sophie acusou Morgan de violência continuada: "Esta não foi a primeira vez que ele foi violento com ela. Não há nada para apoiar a afirmação do réu de que o bebê não era seu".

Alegadamente, Morgan teria intimidado tanto ela, com porrada, que a fez concordar que o bebê não era dele. Após essa confirmação, que ele teria gravado, ele continuou batendo, até que ela ficou inconsciente.

Antes disso, ela teria conseguido contatar os serviços de emergência, mas não conseguiu se explicar, porque ele teria desligado a chamada.

Publicidade

Mais tarde, a operadora contatou a polícia que ligou para Sophie, mas foi Morgan quem atendeu, dizendo que nada que nada estava errado. Quatro horas depois, Morgan Banks foi encontrado na rua, coberto de sangue, e pediu para um transeunte chamar uma ambulância, antes de fugir.

A polícia foi encontrar Sophie nua e do lado da cama, no chão do quarto. Mais tarde, a autópsia revelou que ela havia morrido por lesões múltiplas, causadas por golpes causados ​​por socos e pontapés. O suspeito foi preso na casa de seu avô, na madrugada seguinte, e logo admitiu ter realizado o ataque, dizendo que a chutou na cabeça e nas costelas enquanto ela estava no chão e a tinha golpeado na cabeça.

Sophie e Morgan estavam namorando há quatro anos e tinham um bebê, apesar de um relacionamento tumultuoso, como está sendo descrito, no tribunal. Banks, que tem um registro criminal substancial de 30 condenações por 49 crimes, foi chamado a tribunal, quando tinha somente onze anos. Também por isso, sua sentença foi a mais grave, com pena perpétua de cadeia, sendo obrigado a cumprir um mínimo de 17 anos na prisão. #Violência doméstica #Justiça #Namoro