A polícia de Chicago, nos Estados Unidos, está investigando mais um caso de #Estupro coletivo, entretanto, este foi transmitido, ao vivo, pelo Facebook e as imagens chocaram a todos que chegaram a ver trechos da transmissão. A adolescente tem apenas 15 anos e foi barbaramente violentada por cerca de 6 homens.

Através do Facebook Live, os homens mostraram a menina sendo violentada, ao vivo, enquanto iam revezando na #Violência sexual. A polícia já descobriu que pelo menos 40 usuários chegaram a acompanhar o #Crime pelo Facebook Live, entretanto, nenhuma delas acionou as autoridades, por isso, deverão responder também perante a Justiça.

Publicidade
Publicidade

O que está preocupando também a polícia de Chicago é que este já é o segundo caso de estupro coletivo transmitido, ao vivo, pelo Facebook, nos últimos meses. As autoridades temem que essa prática se torne cada vez mais comum, principalmente pelo fato das pessoas que assistem não avisarem a polícia. No último mês de janeiro, 4 sujeitos foram presos por terem torturado um rapaz que tem deficiência mental e tudo foi transmitido, ao vivo, pelo Facebook Live.

Anthony Guglielmi, que é porta-voz do departamento policial de Chicago, informou que o estupro desta adolescente só chegou ao conhecimento das autoridades após a mãe da menina entrar em contato com o superintendente Eddie Johnson. A mulher informou que sua filha tinha sumido desde domingo e que depois foi vê-la no Facebook, sendo estuprada e mostrou as imagens do crime.

Publicidade

A investigação foi aberta imediatamente e foi enviado um comunicado ao Facebook para retirar a imagem de seu servidor, o que foi prontamente feito pela empresa.

A polícia conseguiu localizar a adolescente, que foi encaminhada para tratamento médico e já encontra-se com seus familiares. A menina revelou que consegue identificar pelo menos um dos estupradores, mas não soube dizer se o grupo de criminosos já a conheciam, ou se a escolheram por acaso.

Até o momento, nenhum suspeito foi preso, mas a polícia segue com as investigações e conta com a ajuda da população para identificar os estupradores e prendê-los.