A beleza nem sempre é um requisito positivo para quem busca um emprego sério, seja para cargos operacionais ou mais qualificados. Isso porque corre-se o risco do contratante ser um pervertido, como aconteceu com uma jovem britânica nesta semana.

Chelsea Dann, de 18 anos, acabou de se formar na faculdade e seguia desempregada. Como precisava de uma renda extra e resolveu arregaçar as mangas. Soube de uma vaga para faxinar um apartamento e resolveu se candidatar.

Inicialmente achou que conseguiria o emprego, pois estava já na fase de negociar os valores do serviço, pelo aplicativo para celular whatsapp.

Parecia uma boa oportunidade: 15 libras por hora (o correspondente a R$ 57,00).

Publicidade
Publicidade

Entretanto, o pior aconteceu. Clelsea começou a ser assediada na troca de imagens instantâneas.

A moradora da cidade de Birmingham ficou espantada quando o desconhecido, que já tinha pedido fotos dela e um currículo, passou a exigir outras coisas. Entre elas, fotos de corpo inteiro. Depois, pediu fotos mais sensuais e, por fim, pediu as chamadas nudes.

Com a maior cara de pau ele escreveu que prefere que uma garota bonita trabalhe para ela, ao invés de uma idosa. “Ter uma velinha é ruim pra minha reputação, pois sou um homem de negócios bem sucedido, se é que me entende”.

O homem escreveu as exigências com naturalidade, o que deixou a jovem muito indignada. Em outras partes do diálogo comentou que Chelsea ficava "gostosa naquele vestido". "Isso me fez sentir muito diminuída", desabafou.

Publicidade

Ela resolveu responder à altura e uma discussão online começou.

Ele passou então a ofendê-la, criticando até mesmo duas tatuagens e jogando na cara que ela era apenas uma mãe solteira de três filhos que vive de renda do governo. E disparou que ela estava enganada em pensar que fica bem com tatuagens, perguntando se ela estava consciente de que daria mais para tirar.

A garota contra-atacou, pedindo para que ele mandasse fotos para que ela pudesse diminuí-lo também. No entanto, ele se recusou.

Em outro trecho da conversa, se gabou de usar um número de telefone falso justamente por ele poder discriminar as pessoas como fez com Chelsea. O pervertido é um advogado, que sequer forneceu seu nome completo.

#Crime