A que ponto chega a perversão e o desrespeito dos homens em relação às mulheres?

Um vídeo gravado compartilhado em vários países mostra que a cara de pau de alguns sujeitos não tem limites. Nas cenas registradas por uma câmera do circuito de segurança de um supermercado na Rússia, um homem é visto usando um telefone celular para fazer imagens das partes íntimas de uma consumidora.

Isso mesmo! Ele aproveita que ela está distraída, procurando produtos numa prateleira e saca o aparelho do bolso para fazer fotos da parte de baixo do vestido.

Como o vestido é curto, ele não tem muitas dificuldades para posicionar o telefone de maneira que a região das coxas e nádegas seja enquadrada pela lente.

Publicidade
Publicidade

Antes de clicar ele pode ser visto olhando ao redor para se certificar de que ninguém está percebendo o que ele está arquitetando. Depois de fazer a foto, gira o corpo para trás e passa a examinar a prateleira oposta com um ar de inocência.

A mulher se vira e olha para ele com desconfiança, antes de seguir em frente.

Uma outra mulher entra em cena, usando um shorts. Claro que esta não foi submetida ao mesmo tratamento por parte do idoso pervertido.

Um vigilante da loja que teve acesso às imagens das câmeras de segurança ficou tão possesso com a situação que resolveu, dias depois, fazer um vídeo menor com a ação abusiva do cidadão e divulgar em um fórum de internet local. A intenção era desmascarar e envergonhar o homem. Rapidamente o conteúdo se tornou viral.

Na postagem que está correndo as redes sociais brasileiras, o homem flagrado nesta atitude lamentável é identificado apenas como Herbert.

Publicidade

As cenas nem são tão recentes assim, pois foram divulgadas pela primeira vez em agosto do ano passado. Porém, o conteúdo traz uma carga de revolta tão grande no público feminino que até hoje o material repercute em alguns perfis de redes sociais no Brasil.

A loja onde o abuso foi flagrado fica na cidade de Chelyabinsk, no Centro da Rússia. Não há informações se a vítima resolveu depois processar o abusador e nem se ele foi punido de alguma forma após ser desmascarado.

#Crime