Um homem identificado como Dansale Magaji, de 55 anos, foi preso pela polícia acusado de ter violentado sexualmente a própria enteada de apenas 7 meses de vida. O caso foi registrado na aldeia de Marmachi da área de governo local de Musawa, estado de Katsina, na Nigéria. Conforme informações, a vítima foi encaminhada para uma unidade médica na localidade cerca de uma semana após ser abusada pelo acusado. A garotinha foi identificada como Hauwa Ibrahim.

Segundo informações repassadas pela polícia, na quarta-feira (29), os médicos que examinaram a vítima relataram que no exame feito na garotinha constataram que ela foi vítima de violência sexual.

Publicidade
Publicidade

Conforme informações do pai da vítima, identificado como Ibrahim Nuhu, nesta quinta-feira (30), a sua ex-esposa, identificada como Zinai, na semana passada havia lhe dito que a bebê estava com hemorragia em suas partes íntimas.

Ainda de acordo com o pai da vítima, a criança foi encaminhada para o Hospital Geral da cidade, onde ela foi examinada pelos profissionais da saúde, que constataram que a hemorragia que a vítima estava era devido ele ter sofrido abuso sexual. De acordo com informações de mídia local, a mãe da vítima relatou que na semana passada, quando ela levantou para amamentar o bebê, encontrou vestígios de sangue e água nas partes íntimas da vítima.

"No dia seguinte, depois que eu fiz a observação, o acusado me deu algumas roupas para eu lavar, incluindo calças manchadas com sangue e sêmen", disse a mãe da vítima.

Publicidade

Conforme informações dos médicos, o ânus e a vagina da vítima estavam com vários ferimentos devido ela ter sofrido penetração forçada. Como o estado da criança era bem delicado, ela foi transferida para uma unidade médica especializada no caso. Em seguida, os médicos acionaram a polícia.

Segundo informações de fonte ligada a polícia local, o suspeito foi preso e encaminhado para uma delegacia de polícia para prestar mais esclarecimento sobre o caso. O porta-voz do Comando de Polícia do Estado de Katsina, Isah Gambo, confirmou o incidente, dizendo que a questão seria abordada na coletiva para a imprensa local nesta sexta-feira (31), que será dada pelo comissário de polícia, Usman Abdullahi. #Estupro #Investigação Criminal #Casos de polícia