Daimi Akyuz, de 46 anos, foi condenado à prisão perpétua, em 2004, após ter matado um bebê de dois anos, a tiro. De acordo com pai do menino, ficou decidido, no tribunal, que ele teria que cumprir uma pena mínima de 36 anos na cadeia. Porém, treze anos depois, Daimi já estava solto e no dia de seu casamento, no sábado, ele foi morto, também a tiro, quando saiu para fumar um cigarro, na Turquia. David Grimason, pai do menino, garante que nada disso alivia a dor que eles continuam sentindo e jura não entender como foi possível o #Assassino de seu filho já se encontrar em liberdade.

O bebê, Alistair Grimason, foi apanhado no meio de um tiroteio em um café, enquanto estava dormindo.

Publicidade
Publicidade

Alistair estava com seus #pais, visitando a família da mãe, na Turquia, e estavam no café, conversando tranquilamente, quando sua paz foi interrompida, por um tiroteio. O menino levou uma bala perdida e acabou morrendo. Após meses, o atirador, Daimi, foi condenado pelo seu crime. Porém, ele saiu da prisão bem mais cedo do que havia sido previsto, encontrando a morte pouco depois, durante o seu casamento, no último sábado, dia 4 de março.

O pai da criança, David Grimason, de South Lanarkshire, na Escócia, disse: "Eu não levo nenhuma alegria no que aconteceu. Eu preferiria que ele estivesse na prisão sendo punido pelo que fez. Me disseram que ele estava em seu casamento e saiu para fumar um cigarro e alguém veio e atirou nele". Grimason contou que isso está sendo uma grande história na Turquia, porque o homem que matou o pequeno Alistair acabou morrendo da mesma maneira.

Publicidade

David contou que, após a morte do menino, ele e a mulher, Ozlem, acabaram se separando e que ela voltou recentemente para a Turquia. "Ozlem voltou para lá, então havia uma possibilidade de eles se encontrarem um com o outro. É um pensamento terrível, ninguém nos informou que ele estava saindo. Foi-nos dito, na época, que ele iria cumprir a sua pena completa. Eles estavam fazendo dele um exemplo. Mas só passou 13 anos e meio e ele já estava cá fora", contou David.

Uma fonte, na Turquia, explicou que as cadeias estão "transbordando" e, por essa razão, e temendo que algum golpe possa acontecer, eles estão deixando sair algumas pessoas, depois de cumprirem mais de dez anos de suas penas. #Bebê