Matthew Lee Williamson, de Brisbane, se declarou culpado pelo homicídio culposo de sua filha de três anos. Depois do incidente, o homem nem teria se mostrado interessado em ajudar seu colega de apartamento, que estaria desesperado tentando ressuscitar a menina. O homem estaria mais interessado em tomar café e fumar um cigarro, segundo o que foi escutado no tribunal. Este pai está sendo sentenciado no Tribunal Supremo de Queensland pela morte de sua filha Kyhesha-Lee Joughin, que morreu depois de sofrer prolongados abusos físicos e sexuais.

Christopher Kent, que na época dividia a casa com Williamson, contou provas detalhadas sobre o ex-companheiro de casa, no tribunal.

Publicidade
Publicidade

Kent contou ainda como ele tentou salvar Kyhesha-Lee, no dia de sua morte, depois de perceber que seus lábios estavam ficando azuis e tentou acordar Williamson, que estava dormindo em um sofá próximo, para o ajudar. Porém, o #Pai da menina não teria se incomodado nem um pouco.

Além das lesões internas, o tribunal ouviu que Kyhesha-Lee teria sofrido "várias contusões em seu rosto, golpes em sua orelha e lábio, e uma lesão no estômago, consistente com um golpe de um punho ou do pé de um adulto caindo sobre ela".

Williamson ainda negou ter causado essas lesões, mas Kent disse ao tribunal que ele testemunhou o abuso físico regular sobre a menina. Ele disse que o alegado agressor, que dormia durante quase todo o dia, trancava a menina em seu quarto, por horas a fio, e ficava furioso quando ela acabava deixando suas fezes pela sala.

Publicidade

Pouco antes da morte da menina, o pai havia golpeado a criança na barriga, em uma luta, que parecia "entre adultos", segundo a descrição chocante de Kent: "Ela chorava, chorava e chorava, e tudo o que Matt fazia era gritar com ela".

Nesse momento, Christopher Kent também está na cadeia, cumprindo uma pena por dirigir sem licença. Ele acredita que está ajudando a justiça, servindo de testemunha nesse caso, mas teme por sua segurança, após fazer essas declarações.

Várias outras testemunhas, incluindo ex-vizinhos, devem ser chamados, enquanto a audiência da sentença de Williamson prossegue com a juíza Roslyn Atkinson. #criança #Crime