A jovem norte-americana Breana Harmon Talbott, de apenas 18 anos de idade, foi #acusada de inventar um crime falso. A garota que mora na cidade de Denison, no Texas (EUA), invadiu uma igreja toda ensanguentada e usando apenas #roupas íntimas, gritou que teria sido estuprada por três homens negros, assustando as pessoas que estavam no local.

Mais cedo, o noivo da garota Samuel Hollingsworth foi relatar o desaparecimento de Breana à polícia. Logo depois que ele encontrou o carro da noiva em um estacionamento abandonado, junto com as chaves, o celular e apenas um sapato junto ao veículo. A jovem foi vista horas depois entrando na igreja e de acordo com testemunhas, vestia apenas uma blusa, estava de calcinha e tinha cortes por todo o corpo.

Publicidade
Publicidade

O caso aconteceu no último dia 8 de março, nos Estados Unidos segundo o site The Sun.

Alguns frequentadores da igreja ligaram para a polícia e, quando foi questionada, ela teria dito que foi #estuprada por três homens usando máscaras de esquiar e que eles eram negros. Ainda segundo ela, o grupo estava em uma caminhonete SUV e a teriam arrastado até um matagal, onde cometeram o crime.

Mas logo após o exame de corpo de delito, a polícia começou a desconfiar que era uma farsa. O legista disse que não teria encontrado sinal algum de abuso sexual, além de o relato não coincidir com a cena do crime, foi o que levantou suspeitas. Como Breana não suportou a pressão confessou que tudo era uma mentira.

Breana afirmou que ela mesmo se feriu e teria inventado o crime. Ela não quis revelar os motivos de ter inventado essa historia absurda.

Publicidade

Mas o que se sabe na verdade é que agora ela está sendo indiciada e deve prestar esclarecimentos a justiça. Samuel seu noivo, terminou o relacionamento.

"Acreditamos que a cena do crime, desde a cena inicial de sequestro no complexo de apartamentos, até o ponto da condição de Talbott quando ela entrou na igreja, foi encenada", disse o chefe da polícia, Jay Burch.

"A brincadeira de Breana Harmon Talbott também foi insultante para a nossa comunidade e especialmente ofensiva para a comunidade afro-americana, devido à descrição dela dos supostos suspeitos", dizia a declaração policial.