Um ato de crueldade contra uma criança foi registrado na sexta-feira (17), na província de Masvingo, no Zimbabwe. Na ocasião, uma mulher, cuja identidade não foi revelada pelas autoridades locais, está sendo acusada de ter arranco os dois olhos de uma criança. A vítima, que não teve o seu nome revelado por motivos óbvios, é um menino de apenas quatro anos, que é enteado da acusada. Segundo informações, a mulher teria cometido o #Crime devido à vítima ter feito xixi na cama. Conforme informação, a mulher confessou ser a autora do crime.

Segundo informações repassadas pelo portal de notícias “Daily Mail”, a criança foi encontrada por populares. Ela estava sentada em uma calçada próximo a sua residência, com os seus olhos arrancados, chorando e com o corpo cheio de sangue. Ainda de acordo com o portal, os moradores logo acionaram o socorro, relatando que uma criança tinha sido vítima de um ato de crueldade. Diante da situação, uma equipe de socorristas se deslocou até o local informado.

O garotinho foi levado às pressas para uma unidade médica da cidade, onde recebeu os todos os atendimentos necessários para o caso. A direção do hospital não divulgou o estado de saúde da vítima. As autoridades locais também foram acionadas e estiveram na cena do crime. Segundo informações da polícia, a suspeita não demonstrou nenhum arrependimento pelo ato de crueldade contra o garotinho. Como se não bastasse, ela estava rindo do caso.

Ainda de acordo com a polícia, ao ser questionada se ela era a autora do crime, em resposta, a mulher disse que sim. Diante da situação, ela foi presa e encaminhada para uma delegacia da cidade para prestar mais esclarecimento sobre o fato. Conforme consta eu seu depoimento, ela relatou que arrancou os olhos do menino devido ele não ser seu filho e ter feito xixi na cama.

Após o depoimento, ela foi encaminhada para uma penitenciária feminina na cidade. Segundo informações da mídia local, a polícia não informou se o pai do garotinho estava em sua residência no momento em que a vítima teve os olhos arrancados. As autoridades locais estão investigando o caso. #Investigação Criminal #Casos de polícia