Uma mulher ganhou repercussão na mídia internacional após ter arrancado os olhos de seu enteado, uma criança de apenas quatro anos, como forma de castigá-lo por ter urinado na cama onde ele dormia.

Tudo aconteceu na província de Masvingo, localizada no continente africano. A polícia foi acionada e a madrasta confessou o #Crime. Ao ser conduzida à delegacia, a mulher estava rindo do acontecido.

Vizinhos relataram à polícia que a madrasta afirmava o tempo todo que o garoto não era seu filho e isso foi um dos motivos que a levou praticar o ato de maldade.

Fotos tiradas do menino momentos após o ocorrido foram divulgadas na internet.

Publicidade
Publicidade

Nelas é possível vê-lo sentado ao chão, com seus olhos perfurados e suas vestes molhadas de sangue.

A polícia vai também investigar se o pai da criança estava presente no momento do ataque. Não foram divulgados mais detalhes sobre o acontecido.

Apesar da polícia ter noticiado que irá investigar o caso, populares estão revoltados, pois afirmam que a madrasta é a única pessoa que poderia ter cometido tal crueldade e que ela já havia comentado o quanto estava cansada de limpar a cama da criança. Populares também afirmam que a mulher já foi flagrada por diversas vezes praticando maus tratos contra a criança sem mostrar qualquer tipo de sentimento ou arrependimento.

A criança foi levada a uma unidade hospitalar naquela cidade e tudo indica que ela urinou na cama por sofrer de enurese noturna.

Publicidade

O que é enurese noturna?

Enurese é quando ocorre a eliminação da urina de maneira involuntária, sempre numa idade onde a criança já deveria ter o controle. Especialistas afirmam que quando se urina durante o sono, além de traumático, a criança também sofre com o problema psicológico.

Segundo pesquisas, uma média de 15% das crianças até os sete anos apresentam problemas de enurese noturna.

Tratamento da enurese

Todo o tratamento passa por uma avaliação médica e é recomendado apenas por um pequeno período de tempo, o suficiente para ter resultado e trazer alivio ao paciente enquanto o organismo se desenvolve.

O problema é gerado por muitas causas, por isso não é recomendado apenas um tipo de tratamento terapêutico. Muitos medicamentos, inclusive, podem ser utilizados. #Mundo #África