Uma mãe ficou horrorizada quando encontrou seu filho viciado em drogas comendo o corpo de um menino de 7 anos que ele havia assassinado e decapitado. A mãe de Nazim Miyan viu a terrível cena em uma casa abandonada em Pilibhit, no Norte da Índia, na quarta-feira (22).

Ao fazer o flagrante, a mulher não pensou duas vezes e imediatamente chamou a polícia. Miyan, de 20 anos, teria cortado o pescoço, os braços e as pernas do pequeno menino em vários pedaços depois de atraí-lo para longe de seus amigos.

Quando os policiais chegaram ao local, ficaram chocados com a cena macabra. Um policial atordoado descreveu o momento frio em que viu o cadáver decapitado.

Publicidade
Publicidade

Ele conta que viu a cabeça da criança ao lado do corpo, que estava deitado no chão. Ele diz ainda que havia manchas de sangue espalhadas por todo o quarto, e que estava faltando no corpo pedaços da pele do abdômen e outras partes que o canibal havia comido.

O policial acrescentou que o assassino estava sentado tranquilamente perto do cadáver e entregou-se à polícia sem qualquer resistência. Miyan foi descrito pelos seus familiares como um jovem viciado em drogas.

Acredita-se que ele atraiu o pequeno Mohammad Monis para a casa, quanto ele estava brincando com outras crianças. Na cena do #Crime, os policiais recuperaram uma faca e uma pá, que foi usada para matar a criança.

Revolta dos populares

Ao tomar conhecimento de que Miyan estava na delegacia, centenas de manifestantes furiosos com o crime se reuniram do lado fora exigindo seu linchamento.

Publicidade

Quando foi interrogado pelos investigadores, Miyan se mostrou incoerente, não dizendo coisas com coisas, possivelmente sob efeito de drogas, segundo fontes próximas ao caso.

Ele está sendo acusado de #assassinato e sequestro, e está sob custódia da polícia aguardando o julgamento. O policial Devranjan Verma, em entrevista ao jornal Hindustan Times, promete que em breve estará concluindo as investigações e que apresentará ao tribunal o relatório conclusivo do caso nesta quarta-feira (1º de março). #Morte