Era um dia normal na vida do #Jovem Juan Torres. Ele se lembra de ir a uma festa e voltar pra casa, como normalmente fazia. Mas, logo após, sua vida mudou completamente, isso há 3 anos e meio.

Juan Torres entrou em coma e ficou preso no que os médicos chamam de estado vegetativo. Durante o #Coma, Juan afirma que esteve acordado, mas era incapaz de se comunicar ou de efetuar movimentos. “Era como se tivessem me amarrado em meu próprio corpo, era desesperador”, afirma o jovem.

Após ser entrevistado por Gabriel Weston, médico e apresentador do programa “Incredible Medicine” (“Medicina Incrível", em tradução livre) da rede de televisão britânica BBC, o profissional disse que "o simples fato de que ele [Torres] está falando conosco agora é o que realmente me surpreende."

Torres teve que reaprender tudo do zero, como tivesse nascido novamente.

Publicidade
Publicidade

No momento, está reaprendendo a andar.

O caso

Margarida, mãe de Juan, percebeu que algo estrava acontecendo com o filho no momento em que ele chegou em casa, após a festa. Desesperada e sem saber o que fazer, chamou a #Ambulância e foi informada que seu filho teve uma parada respiratória.

Junto com o filho na ambulância, a caminho do hospital, viu o quanto foi difícil para os paramédicos manterem o rapaz vivo.

Estavam quase perdendo as esperanças, mas Juan sobreviveu. No entanto, entrou em estado vegetativo. E diferentemente de alguns pacientes, que sofrem a chamada Síndrome de Enclausuramento, o jovem não conseguia nem mesmo mover os olhos para mostrar que estava consciente.

No hospital, o médico que cuidou do caso disse à família para não ficar animado a respeito da recuperação de Juan.

Publicidade

Os parentes foram orientados a esperar pelo pior, e Juan escutava tudo, sem poder fazer nada para consolar seus familiares.

Já se preparando para a morte do filho, Margarida se despedida de Torres, lembrando todos os momentos junto. “Eu estava relembrando e disse algo que é uma brincadeira de família, algo como, ‘você vai ser sempre minha pequena Branca de Neve’, e a melhor coisa me aconteceu. Ele riu”, lembra a mãe.

Margarida afirma, com lagrimas nos olhos, que “aquele dia, independente de como estava o clima fora, foi o dia mais ensolarado da minha vida!”.

Foi naquele momento que Juan recuperou a capacidade de se comunicar e mostrar a todos ao seu redor que estava consciente e plenamente vivo.