Uma polêmica repercutiu na imprensa mundial essa semana. Fuzileiros navais americanos estão compartilhando fotos de colegas #nuas em redes sociais. O Departamento de Defesa dos Estados Unidos já tomou a frente em uma investigação interna no intuito de punir os culpados. As fotografias compartilhadas são de oficiais que estão em serviços e até mesmo das veteranas.

De acordo com as investigações, só no último mês de janeiro, mais de 20 militares tiveram fotografias em que elas aparecem sem roupas, além de seus nomes completos e a base militar das respectivas mulheres, #divulgadas em uma página privada no Facebook com 30 mil participantes.

Publicidade
Publicidade

O assédio as oficiais ocorreu justamente no mês em que a marinha americana recebeu o primeiro batalhão de infantaria feminino da história dos Estados Unidos. Essas exposições só mostram o que acontece dentro das Forças Militares americana, podendo até prejudicar o recrutamento das mulheres.

Em uma dessas fotos, aparece uma fuzileira vestida com seu uniforme, sendo clicada na hora que pegava seu equipamento de trabalho. Na legenda, o dono das imagens relata que seguiu a companheira até um acampamento chamado Lejeune, Carolina do Norte. Além dessa outras, milhares de imagens foram publicadas nesse grupo "Marines United", todas as fotos tiveram comentários obscenos.

Em um dos comentários, um homem sugere o que o fotografo deveria fazer. "Leve ela para outro lugar...", enquanto outros falam.

Publicidade

" Somente sexo vaginal não será suficiente", escreveram os participantes do grupo. A oficial só veio saber que estava sendo seguida após o caso estourar, mas ela tem certeza que sabe quem foi o homem que a fotografou. "Ele estava tão perto que pode sentir o meu cheiro, e isso vai me perseguir, da mesma forma que ele fez", relata a militar, que prefere não se identificar.

Em nota as forças armadas relataram que o crime está em investigação e que as contas dos usuários que compartilharam as fotos foram excluídas, e os responsáveis foram dispensados do serviço. Mas, mesmo depois de tomadas essas providências, novas imagens foram postadas e compartilhadas.

Segundo informações do site "The War Horse", que falou com cinco vítimas, as mulheres acham que foram hackeadas para que os acusados roubassem essas imagens. Uma das militares conta que foi alertada por um colega de trabalho sobre o compartilhamento das suas fotos. #Polêmica