Um escândalo de uma blogger americana feminista está viralizando por todo o mundo. Tudo porque a mulher, conhecida por Lana, escreveu no seu blog que, no passado, fez um #aborto, quando a ultrassom mostrou que estava esperando um menino. A notícia começou a ser veiculada pela imprensa internacional na sexta-feira (3).

Lana relatou que se sentiu traída por seu próprio corpo e que não poderia "trazer mais um homem" para o mundo. Por isso, resolveu abortar e garante que "fazia novamente", porque é sua a decisão de fazer o que quiser com o seu próprio corpo.

"Meu corpo tinha me traído. Eu estava em choque, comecei chorando, uma angústia, um choro inconsolável e mental do tipo que só pode ser experimentado por aqueles que viram as suas vidas destruídas pela guerra", escreveu ela no seu blog, quando soube que estava esperando um menino.

Publicidade
Publicidade

Inicialmente, a mulher americana, que se diz feminista, aceitou bem sua gravidez. Porém, tudo mudou quando descobriu que seu bebê seria um rapaz.

No momento do resultado, ela teria pensado logo no aborto, mas só passado três dias é que Lana tomou a decisão final, de não fazer nascer mais um homem. "Eu não odeio os homens, odeio o patriarcado, em que homens e incluso algumas mulheres se convertem. Não podia deixar isso acontecer com os meus filhos", escreveu a americana.

No seu blog, em nenhum momento ela se refere ao pai do bebê como um homem, mas fala sempre em “doador”, não especificando, no entanto, como foi concebida a criança, que mais tarde ela abortaria. Se foi de forma natural ou por inseminação. Sobre seu estado de gravidez, ela se refere como um "diagnóstico" que recebeu, mas que poderia contrariar, porque era o seu corpo.

Publicidade

Depois de compartilhar sua decisão polêmica, no seu blog, Lana criou enorme agitação pública sobre seu caso específico. São cada vez mais os casos de manifestações feministas, de mulheres que acabam caindo em alguns exageros, para a opinião pública.

Porém, esse é um dos que mais está causando mais polêmica, por se tratar de uma vida que foi negada, apenas por ser um menino e não um menina.

Apesar de todas as críticas que está recebendo, Lana fala que "faria de novo, em um abrir e fechar de olhos", e repudia as pessoas que estão desejando sua morte. De acordo com a americana, algumas pessoas estão enviando mensagens bem agressivas para ela bem:

"Eu não posso acreditar em alguns dos e-mails que recebi. Existem realmente pessoas que desejam minha morte por eu decidir o que fazer com o meu corpo. Isso é típico de um indivíduo mentalmente perturbado", disse a feminista.

E o leitor, o que pensa desse caso? Deixe sua opinião! #Feminismo #mãe