Crimes acontecem todos os dias, mas alguns, em especial, chamam a atenção de qualquer um. No dia 18 desse mês, por exemplo, a polícia do estado de Oklahoma, nos Estados Unidos, tinha um dia normal, até que recebeu um chamado estranho. O comunicado dizia que uma mulher fora de si corria armada pelas ruas. O chamado não era um trote. Uma jovem de 21 anos ia a toda com um revólver nas mãos. Mais tarde, ela foi identificada como Madison Sueann Dickson. A corrida acontecia próximo a uma escola infantil e os policiais, é claro, temiam que a mulher pudesse virar uma atiradora em potencial. Nos Estados Unidos, infelizmente, os casos de tiroteios em escolas são muito comuns.

Publicidade
Publicidade

O policial está em sua viatura quando vê a mulher correndo armada. Ele então decide atropelá-la, após Madison não parar. O agente foi identificado Jonathan Grafton. Ele passou por cima de seu corpo e a jovem acabou não resistindo aos ferimentos do atropelamento. O policial, por conta do caso, foi afastado das funções. Uma investigação foi aberta para ver se o atropelamento mortal era mesmo o melhor que ele poderia fazer.

Não é a primeira vez que a mulher se envolve com crimes. Investigadores acreditam que dois dias antes do atropelamento ela atirou na cabela de um homem. Ele ficou em estado crítico e pode morrer. Além disso, uma semana antes, ela teria roubado uma loja da região, dando diversos tiros, até que sua arma ficasse completamente descarregada das balas.

O vídeo abaixo mostra a visão do policial que atropelou e matou a mulher que corria armada pelas ruas americanas.

Publicidade

Atropelá-la foi uma forma de detê-la e evitar que pessoas fossem atingidas com disparos de arma de fogo.

Já o vídeo abaixo foi registrado por uma câmera de segurança de um carro que ia atrás do principal. Ele mostra que a mulher não para de correr, nem mesmo quando vê que os agentes da lei estão perto.

Na sua opinião, os policiais americanos agiram com destreza diante da situação conflitante? Deixe o seu comentário. A sua opinião é sempre importante para todos nós e ajuda ano diálogo de temas relevantes para a sociedade. #Crime