O medo de ser enterrado vivo é relativamente comum - e é verdade que algumas condições de saúde, que suprimem os mais óbvios sinais de vida podem, combinadas a um exame menos detalhado do suposto cadáver, levar a isto. Esta possibilidade, que foi explorada em obras de autores tão diferentes entre si quanto Edgar Allan Poe e Edward Bellamy, era certamente mais comum em épocas em que a tecnologia e o conhecimento médicos eram bem mais rudimentares do que são hoje. Alguns modelos de caixão foram criados, com meios, um sino, por exemplo, para que alguém que acordasse depois de enterrado vivo pudesse chamar a atenção das pessoas. William Tebb, reformador social britânico em atividade no começo do século passado conseguiu reunir estatísticas indicando que pessoas tinham sido enterradas vivas na terra de Sua Majestade e que alguns “mortos” tinham até despertado durante o processo de embalsamento.

Publicidade
Publicidade

Infelizmente, mais de cem anos depois, apesar de todos os avanços técnicos e sociais, algo assim parece ter acontecido em Uttar Pradesh, um estado do norte da Índia - só que pior. Uma jovem de 21 anos, identificada pela imprensa apenas como Rachna, foi declarada morta pelos médicos em um hospital, a causa da #Morte teria sido uma infecção pulmonar. O marido dela, Devesh Chaudhary, de 23 anos, levou-a para ser cremada. Quando o processo estava ocorrendo, um dos presentes lançou-se ao corpo e arrancou-o da pira funerária, alegando que Rachna estava viva. Levado o corpo para novo exame, não se encontrou nenhum sinal vital, só que partículas carbonizadas foram encontradas em sua traqueia e em seus pulmões, o que significa que ela estava respirando a cremação, ou seja, estava viva naquele momento.

Publicidade

Segundo os dois profissionais que a examinaram depois de tirada da pira, ela morreu do choque de estar sendo queimada viva. Se uma pessoa está morta, tais partículas [carbonizadas] não podem chegar aos pulmões e à traqueia, explicou um porta-voz da polícia explicando a conclusão dos médicos.

Um tio da jovem acusou o marido da vítima e parentes de terem-na estuprado e assassinado. A polícia está investigando a acusação e afirmou que os suspeitos já desapareceram. #Chocante #Crime