Uma mulher da ìndia chamada Rachna Sisodia de apenas 24 anos de idade estava internada quando o hospital Sharda ligou para sua família em Grearter Noida para anunciar a fatídica informação que a jovem não havia sobrevivido. Toda a população ficou chocada com a morte da mulher na cidade localizada no norte da Índia, mais precisamente no estado de Uttar Pradesch.

Rachna era casada com Devesh Chaudhary, um ano mais novo que sua esposa. A mulher de Devesh estava internada a apenas dois dias quando o telefone tocou. Os médicos informaram que a mulher não tinha resistido a uma infecção grave nos pulmões e veio a falecer. Inconformado com a perda da esposa, no mesmo dia os familiares resolveram tudo para o velório da mulher, porém muitos ainda estavam incrédulos com a morte de Rachna com apenas 24 anos de idade.

Publicidade
Publicidade

No mesmo dia em que a morte foi anunciada, Devesh levou o corpo de sua esposa para um crematório, pois essa seria a forma de sepultamento da mulher. O local escolhido foi Aligahr, uma cidade que fica a duas horas de Greater Noida.

Tudo parecia correr normalmente durante a cerimônia de cremação quando um parente de Rachna suspeitou que a mulher pudesse estar viva. Mas, nem as suspeitas do homem, que mais tarde foram comprovadas como verdade, foram capazes de salvar a pobre mulher, que ardeu em chamas ainda viva, sendo cremada por engano ao ser dada como morta.

Por mais que os médicos que forneceram o laudo da mulher de óbito atestem que Rachna estava morta ao ser cremada, outros dois profissionais contestam esses médicos. Dois legistas realizaram uma perícia no corpo de Rachna e encontraram carbono na traquéia e no pulmão da jovem, que tentou respirar antes do fogo sucumbir seu corpo todo.

Publicidade

Ao investigar o caso, até mesmo funcionários do hospital em que Rachna esteve também tiveram suspeitas sobre a morte da mulher. Para a família da indiana que foi queimada viva, o marido e outras onze pessoas podem estar envolvidas na cremação da mulher. Segundo um tio da jovem, o marido estaria interessado no seguro que receberia com a morte da esposa. Após as investigações, o marido e outras onze pessoas estão foragidas, todos envolvidos na morte da mulher queimada viva na Índia.

#Investigação Criminal