Uma mulher de 25 anos foi morta no pátio de uma igreja, após uma “revelação Divina”. A jovem teria sido amarrada e queimada viva em uma fogueira, para poder ser curada em uma tentativa de exorcismo. Vilma Trujillo teve 80% do seu corpo queimado, não resistiu e faleceu nesta terça-feira (28), depois de mais de sete dias de sofrimento.

Segundo a polícia da Nicarágua, a mulher foi encaminhada para “uma oração de cura” em um templo da #Igreja Visão Celestial da Assembleia de Deus em El Corteza, e teve suas mãos e pés amarrados ficando supervisionada por Juan Gregório Rocha, pastor do local de culto. Depois de 6 dias amarrada, a jovem foi queimada em uma fogueira com os pés e mãos atados.

A Polícia Nacional relatou que a diaconisa da igreja, Esneyda Del Socorro Orozco, foi quem ordenou que a moça deveria ser curada por meio do fogo, em um pátio do templo. Após a ordem, a vítima teria sido então lançada ao fogo. A garota sofreu muitas queimaduras de primeiro e segundo grau no corpo e, apesar de ter sido direcionada para um hospital acabou falecendo.

Reynaldo Peralta, marido da falecida, afirmou que Vilma havia sido levada à força pelos participantes da igreja e que a acusavam de ter tentado golpear pessoas com um facão. O homem afirmou ainda que sua mulher não estava possuída por um demônio, mas tinha sido vítima de uma bruxaria.

Gregório Rocha, em sua defesa, afirmou ao jornal “La Prensa” que jovem havia caído no fogo quando o demônio saiu do corpo dela, e negou que alguém jogou na fogueira a mulher. Cinco pessoas suspeitas de participarem do crime contra Vilma já foram presas, entre os suspeitos estão o pastor e a diaconisa.

A morte da moça causou muita comoção em Nicarágua, onde a taxa de católicos vem caindo cada vez mais, há cerca de 20 anos. Nos dias de hoje menos de 50% da população são católicos, e os evangélicos estão chegando a quase 40% dos cidadãos.

A vice-presidente da Nicarágua, Rosário Murillo, em entrevista à mídia local, lamentou o falecimento da jovem e pronunciou que o acontecimento é inaceitável e não poderá se repetir novamente. #Mundo