Sharon Whiteley foi ao médico para uma cirurgia, mas ao sair de lá descobriu algo inacreditável, ela estava com um vício intrigante: "Estou viciada em sexo". A britânica tem 46 anos e acabou descobrindo um câncer no útero. Os profissionais que a atendiam acharam melhor fazer um procedimento para retirar o mioma, que estava enorme, 3,1 quilos. O que Sharon não esperava era que a sua libido aumentasse bastante após a cirurgia. "O sexo está na minha cabeça 99% do tempo. Quanto mais homem, melhor", disse ela não tendo o menor pudor sobre a sua nova característica após o procedimento cirúrgico.

Britânica vira ninfomaníaca após passar por tratamento médico

A cirurgia, como mostra uma reportagem do jornal britânico 'The Sun', aconteceu no meio do ano passado e, desde então, a mulher está viciada em ter atos sexuais.

Publicidade
Publicidade

Ela conta que seu vício é tão grande que se considera uma ninfomaníaca. Antes da cirurgia, a inglesa revela que era uma mulher pacata e que apenas havia ido para cama com cinco homens em toda sua vida. Desde que passou pela cirurgia, a menos de um ano, ela já foi para cama com mais de dez caras diferentes e garante querer muito mais. De acordo com ela, o objetivo é achar rapazes que queiram satisfazer o seu desejo, que está muito grande.

Vida agitada e sem nenhum cansaço

Uma semana antes de dar a entrevista, Sharon contou que teve encontros sexuais com três homens diferentes. Ela diz que todos os homens tinham pouco mais de vinte anos e que com um deles ficou por quatro dias. De acordo com ela, após o procedimento, além de sentir mais libido, ela não se sente cansada ou com dor por conta de tantos atos sexuais.

Publicidade

Pelo contrário, Sharon quer é ir mais vezes para a cama. Desde o procedimento, ela usa roupas mais provocantes. Nas redes sociais, as selfies exibindo o rosto e o corpo chamam a atenção.

Antes de retirar o mioma, a inglesa diz que sua relação com o sexo era de indiferença. Para ela, era como se o ato sexual não fizesse bem ao seu corpo. Os períodos menstruais também eram muito longos, coisa que não acontece mais por conta do procedimento no útero. #Saúde