Um caso bizarro envolvendo religião tem chamado a atenção em todo mundo: uma mulher foi amarrada e #queimada viva por pastores na Nicarágua. Em uma tentativa de #exorcismo, membros de uma igreja amarraram e atearam fogo em uma jovem nicaraguense e pastores disseram ser uma 'revelação divina', que para a mulher ser curada, devia ser queimada viva em uma fogueira.

Vilma Trujillo, 25 anos, não resistiu. Após sofrer queimaduras graves em 80% do corpo e uma semana agonizando no hospital, ela morreu na última terça-feira (28), sua morte comoveu todo país. A polícia informou que Vilma teria sido levada para uma reunião chamada "oração de cura", no dia 15 de fevereiro, em uma cidade chamada El Cortezal, no noroeste da Nicarágua, onde localiza-se a igreja Visão Celestial das Assembleias de Deus.

Publicidade
Publicidade

A mulher teve as mãos e os pés amarrados e ficou sendo observada pelo o pastor da igreja, que as autoridades o identificaram como Juan Gregório Rocha. A Assembleia de Deus afirma que não reconhece Juan como pastor.

Então, seis dias depois de ela estar em observação, por volta da meia-noite de 21 de fevereiro, ela foi queimada em uma fogueira. De acordo com a polícia local, uma mulher chamada Esneyda del Socorro Orozco, que é diaconisa da igreja, afirmou que teve uma revelação divina e que deveriam fazer a fogueira no pátio da igreja para que a vítima fosse curada com fogo.

Vilma Trujillo, foi amarrada, lançada ao fogo e sofreu queimaduras de segundo e primeiro graus, em quase todo o corpo. Apesar de rapidamente ter ido ao hospital em Manágua, não resistiu aos ferimentos e faleceu. O esposo de Vilma, Reynaldo Peralta, confirmou que a esposa, que era mãe de duas crianças, foi forçada por integrantes da congregação e levada a força para a fogueira.

Publicidade

Eles acusaram a mulher de ter atacado algumas pessoas com um facão.

Para o marido sua esposa não estava "possuída", mas que era vítima de uma obra de "bruxaria". Peralta afirma que um homem que doava remédios para a vítima teria abusado sexualmente dela e que ela havia mudado o seu comportamento devido a esse fato, contou ele ao jornal " La Prensa". O acusado, Gregório Rocha, disse ao mesmo jornal, que a mulher não teria sido jogada ao fogo e sim que ela caiu na fogueira depois que o espirito maligno saiu do corpo dela. A polícia, no entanto, prendeu cinco pessoas suspeitas de participar do crime, o suposto pastor Gregório Rocha e a diaconisa Esneyda Orozco, estão entre eles. #vitima