De acordo com o site britânico Express, o presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, afirmou publicamente que ficaria feliz em enforcar todos os membros do Parlamento Europeu que se intrometem em sua #Política de "tolerância zero" contra criminosos.

Duterte foi eleito no dia 30 de junho de 2016, e a sua campanha à presidência foi centrada principalmente no combate impiedoso ao tráfico de drogas. Após vencer a disputa ao governo filipino, o advogado de formação começou a cumprir o que prometeu, e desde então, mais de oito mil pessoas que estariam ligadas ao crime já foram mortas no país asiático.

O atrito recente com políticos aconteceu porque o Parlamento Europeu emitiu uma resolução onde condenava o que foi chamado de "execuções extrajudiciais" (fora do âmbito da justiça) ocorridas nas Filipinas.

Publicidade
Publicidade

Além disso, a instituição europeia afirmou que estava preocupada com a segurança da senadora filipina Leila de Lima, que é ativista dos direitos humanos e crítica feroz de Duterte.

Discurso furioso

Segundo o Express, Rodrigo Duterte ficou furioso com a alegada intromissão externa nos assuntos de seu país, e advertiu os políticos europeus para que fiquem de fora de assuntos que não são de sua competência.

Em um discurso inflamado, o presidente filipino fez a seguinte afirmação, dirigida aos membros do Parlamento Europeu: "Seus loucos, seus filhos da pu**. Parem de interferir conosco. Eu ficaria feliz em enforcá-los. Se dependesse de mim, eu enforcaria todos vocês".

O principal assessor jurídico da presidência das Filipinas, Salvador Panelo, também possui a mesma visão de Duterte, e disse que os políticos europeus "não podem ditar ao governo filipino o que fazer com o seu constituinte que enfrenta acusações criminais".

Publicidade

Ainda de acordo com o Express, a polícia das Filipinas se responsabilizou pela morte de mais de 2.500 pessoas em operações deflagradas no combate ao tráfico de drogas, mas rebateu as alegações feitas por grupos de direitos humanos que dizem que a força policial estaria envolvida diretamente em milhares de assassinatos envolvendo usuários de drogas. #Relações Exteriores