Um crime bárbaro, cometido pelo que tudo indica ser um psicopata, está repercutindo fortemente na Europa e também em outras partes do mundo.

Trata-se da morte de um menino de apenas 9 anos, que teria sido esfaqueado por um jovem na Alemanha. Pelos menos dois detalhes cruéis dão o caráter dantesco à história. O primeiro é que a vítima foi golpeada 56 vezes com arma branca. O segundo ingrediente impressionante do #Crime é que um vídeo da morte do menor foi compartilhado pelo assassino via aplicativo de mensagens para celular e também na internet.

Uma notícia positiva no caso é que a polícia alemã conseguiu prender o rapaz apontado como responsável pela morte.

Publicidade
Publicidade

As autoridades de segurança acreditam que ele é um serial killer, que tem nas costas outras três mortes.

Para botar as mãos no assassino corporações policiais de toda a Europa se mobilizaram em uma caçada que durou três dias. A mobilização conjunta chegou ao paradeiro do jovem de 19 anos, chamado Marcel Hesse.

Ele foi capturado na Alemanha. O vídeo com os registros da morte foram enviados pelo WhatsApp primeiramente a um amigo do assassino. Na mensagem Hesse colocou o seguinte texto: “pessoas morrem lentamente quando você as esfaqueia”. O garoto de 9 anos chamava-se Jaden.

Ao criar um post numa sala de bate-papo na web, o assassino deu pistas de que pode ter matado uma outra pessoa quando escreveu que cortou a mão ao lutar com um “animal” de 120 kg.

O fato é que o próprio serial killer teria organizado sua prisão.

Publicidade

Pelo menos é o que relataram testemunhas à imprensa internacional. Segundo elas, na última quinta-feira (9), Hesse entrou em uma loja e pediu que os funcionários ligassem para a polícia. Disse para eles que os agentes estavam procurando por ele.

Fez isso aparentemente depois de ter matado uma pessoa, já que nas proximidades da loja mais um corpo foi encontrado.

Para a polícia alemã, outros dois corpos foram encontrados com pistas de que o assassinato foi cometido por Hesse, totalizando então quatro vítimas.

Em entrevista ao jornal Mirror, Pascal R., padrasto de Jaden, contou o que viu no porão da própria casa. “Ele estava em uma espécie de lago gigante formado com seu próprio sangue. Nunca vou esquecer a imagem do meu enteado assassinado”, disse o homem, de 34 anos.

#Investigação Criminal