O presidente dos Estados Unidos, #Donald Trump, disse que se concede um "A+" pelas realizações, mas um "C" por transmitir sua mensagem em seu primeiro mês no cargo. "Em termos de mensagens, eu daria a mim mesmo um C ou um C+", disse Trump durante entrevista no programa de TV "Fox & Friends", da Fox.

"Porque eu acho que fiz grandes coisas, mas não somente eu, eu e meu povo. Eu não acho que nós explicamos isso bem o suficiente para o público americano", argumento ou presidente.

Em um show raro de autocrítica, Trump disse durante a entrevista transmitida nesta terça-feira (28) que "talvez seja minha culpa" os objetivos do governo sobre imigração não terem sido divulgados de forma eficaz.

Publicidade
Publicidade

Ele estava se referindo ao lançamento problemático de sua ordem de 27 de janeiro para proibir temporariamente as pessoas de sete nações de maioria muçulmana de entrarem no país.

Convidado a dizer como ele iria mudar a mensagem, o empresário e ex-estrela da TV disse: "Talvez eu vá alterá-lo durante o discurso", disse ele, referindo-se ao seu discurso ao Congresso, que seria realizado na mesma terça-feira.

Durante seu primeiro mês na Casa Branca, Trump assinou uma onda de ordens executivas, retirou os Estados Unidos de um acordo comercial do Pacífico e nomeou um juiz conservador, Neil Gorsuch, para preencher uma vaga na Suprema Corte. Mas seu primeiro mês tem sido caracterizado por erros, dramas internos e disputas amargas com os meios de comunicação, e ele ainda tem que marcar todas as realizações legislativas.

Publicidade

O partido Republica do presidente controla a Câmara e o Senado, dando-lhe uma chance de reformular a economia com apoio dos legisladores. Mas ele enfrentará uma série de perguntas em seu primeiro discurso antes de uma sessão conjunta do Congresso.

Trump também terá de enfrentar problemas externos. A Coréia do Norte acaba de afirmar que está em fase final de desenvolvimento de uma arma nuclear capaz de chegar a partes dos Estados Unidos. Não vai acontecer!

Leia aqui mais sobre o discurso polêmico de Donald Trump #CasaBranca #USA