Aos 18 anos, a americana Breana Harmon Talbot inventou uma história maléfica, digna dos filmes policiais. Ela disse às autoridades dos Estados Unidos que foi vítima de um estupro coletivo. É o que mostra uma reportagem do site 'Heavy' publicada nesta semana. O suposto #Crime teria sido efetuado por homens negros, no estado do Texas, no dia 8 de março. Vídeos chegaram a ser divulgados pela imprensa, na época em que Breana começou a contar sua lorota. Em um deles, a falsa estuprada aparece correndo nua para dentro de uma igreja. Ela estava completamente cheia de sangue pelo corpo. Assustando os fiéis da congregação, a americana, de maneira desesperada, dizia que havia sido abusada sexualmente por três homens negros.

Publicidade
Publicidade

O noivo da jovem, momentos antes dela entrar na igreja correndo, já estava na polícia. Ele estava à procura de seu paradeiro e pedia ajuda. O rapaz foi identificado como Samuel Hollingsworth. Ele revelou que encontrou o veículo da suposta vítima largado em um estacionamento e que estranhou o fato do aparelho de celular dela estar ali, além de seus sapatos. Breana não havia deixado qualquer recado sobre algo diferente que fosse fazer, o que deixou seu noivo em pânico.

A adolescente entrou na igreja assim que os policiais começaram a procurar por ela em Deníson, no Texas. Ela estava completamente rasgada. No momento do desespero, havia um culto na igreja. Os fiéis ajudaram a jovem, que estava toda manchada pelo que parecia ser sangue. As testemunhas viram tudo, atônitas.

Publicidade

Ao ver a mulher contando a história do estupro, os fiéis ligaram para a polícia e ela repetiu a história, que havia sido abusada por três homens diferentes. Ela sabia que eles eram negros, mas dizia que os abusadores usavam máscaras de esquiar, ou seja, ela não teria como fazer um retrato-falado deles.

Breana contou que foi sequestrada, colocada dentro de um caminhão e, em seguida, jogada no mato, onde o estupro aconteceu. Os policiais, no entanto, mandaram Breana fazer um exame para comprovar o abuso. O exame de corpo de delito revelou, na verdade, que não havia qualquer lesão vaginal na mulher. Foi então que ela contou toda a verdade e revelou que se feriu sozinha. "Ela forjou tudo!", disse uma das autoridades.