Páginas de extrema direita compartilharam um vídeo no Facebook com imagens fortes de agressões de um homem contra duas mulheres.

Embora no conteúdo postado a descrição acusa o agressor de ser um refugiado muçulmano agredindo mulheres francesas, não há nenhuma pista que indique isso.

Publicidade

Nos jornais franceses de maior circulação, como Le Monde, L'Équipe e Le Figaro não há referencias ao ataque covarde do homem. Nos comentários do post há internautas avisando que o vídeo parece não ter sido registrado na França, já que o idioma falado não é o francês.

Publicidade

Um dos comentários que desconfia da procedência do conteúdo aponta que ele é originário da Rússia, já que uma das palavras que o homem usa contra as vítimas é “suka”, um xingamento que quer dizer prostituta ou vadia em russo

Apesar de não haver a fonte de onde o material foi retirado, nos comentários a maioria dos posicionamentos é de ódio à muçulmanos e devotos do islamismo. Há aqueles que apoiam a postura do presidente americano Donald Trump e muitos internautas aproveitam para fazer campanha para Jair Bolsonaro nas próximas eleições presidenciais do Brasil.

Polêmicas à parte, embora não haja ainda a a confirmação da procedência da localização do vídeo, o fato é que ele traz cenas revoltantes de violência brutal contra duas mulheres. Aparentemente, elas são funcionárias de um hospital na Rússia e tentam conter a fúria do homem.

Ele parece estar alterado quimicamente e primeiro tenta dar um tapa em uma mulher de jaleco branca. Outra moça surge para tentar defendê-la e afastar o homem. Mas ele continua com as agressões até que acerta um forte soco na primeira mulher..

Publicidade

A vítima cai no chão com o impacto do golpe. Ele segue revoltado e bate também na outra mulher, que sai de perto. Ele vai atrás dela, desaparecendo atrás de uma pilastra. Enquanto isso, a vítima caída se esforça para levantar. O agressor reaparece perseguindo a outra mulher e o vídeo de um minuto de duração termina sem que se possa saber se ele foi imobilizado e punido pela violência.

#Crime #Investigação Criminal